Polícia Ambiental conta com drone nas ações

181

16628Equipamento foi destinado pelo Ministério Público e tem capacidade de voar a até 500 metros de altura

A atuação da polícia cada vez mais tem contado com o auxílio da tecnologia. O efetivo do 3° Grupo de Polícia Ambiental (GPA) de Carazinho, que é integrante do 3° Batalhão Ambiental da Brigada Militar (BABM), com sede em Passo Fundo, já conta com uma novidade entre os seus recursos de trabalho.

Os policiais já realizaram treinamento e estão utilizando nas suas ações um drone. “Esse novo aparelho vai facilitar e muito a nossa atividade de fiscalização diária. Com ele poderemos analisar derrubada de árvores, desmatamento, poluição e também delitos dentro da cidade”, explica o sargento Vilson da Silva de Mattos, comandante do 3° GPA.

O equipamento foi adquirido através de um Termo de Ajusta de Conduta (TAC), sendo que o Ministério Público (MP) destinou-o à Polícia Ambiental. “Com o drone poderemos fazer algumas ações sem deslocar a viatura e, até mesmo, evitar que um policial precise caminhar em áreas difíceis no caso de uma fiscalização em zona rural, por exemplo”, conta o sargento.

O drone, que tem capacidade de voar até uma altura de 500 metros, faz fotos e vídeos das áreas captadas. Em terra, os policiais operam o equipamento e, através de um monitor, podem assistir o que a câmera capta durante o voo.

Três policiais do 3° GPA estão aptos a operar o drone. “Ainda vamos potencializar o uso dele. Queremos adaptar um GPS no aparelho para poder medir áreas durante o voo”, projeta o sargento Vilson.

Decibelímetro
Outro equipamento recebido recentemente pelo 3° GPA, através de uma destinação de verbas de penas alternativas do Poder Judiciário, foi um decibelímetro. O aparelho é usado basicamente para verificar se a emissão sonora gerada pelos rádios de veículos não estão além do permitido, uma queixa comum de moradores carazinhenses.

Duas operações já foram feitas. “Já estamos operando com o decibelímetro para analisar a poluição sonora em Carazinho e nos demais municípios de nossa área de atuação. Realizamos duas operações durante a noite, onde foram recolhidos três veículos flagrados com o som em níveis acima do permitido. Nestes casos, de poluição sonora, o drone também será utilizado. O intuito é que ele ajude a identificar os infratores”, revela Vilson.

A RAZÃO