“Quando tivermos margem financeira, vamos ampliar”, diz Sartori sobre efetivo da BM

128

ASWO governador José Ivo Sartori utilizou sua conta no Twitter para justificar nesta quarta-feira (13) a prorrogação do decreto de contingenciamento de gastos no Estado. Com a prorrogação, o governo mantém suspensas nomeações de servidores aprovados em concursos, inclusive para a área da segurança pública. Cobrado sobre a convocação de mais policiais militares, o governador publicou mensagens para dizer que primeiro será preciso organizar as finanças, antes da nomeação de novos brigadianos ou policiais civis.

“Já disse, em diversas entrevistas, que reconhecemos a necessidade de ampliar o efetivo em alguns setores, especialmente segurança pública. Queremos conter gastos para fazer mais nessas áreas. Quando tivermos margem financeira, responsavelmente, vamos ampliar os efetivos”, explicou.

O governador sinalizou ainda que não se comprometeria com promessas que não pudessem ser cumpridas pelo Executivo.

“Não esperem de mim falsas promessas e nem irresponsabilidade. Sei o meu papel e o preço político das decisões. Superar a crise econômica exige persistência. E nós vamos persistir. Só assim vamos devolver ao Estado condições de investir mais”, afirmou em mensagens postadas no Twitter.

O decreto assinado nesta quarta-feira prevê situações em que as regras possam ser flexibilizadas, em caráter excepcional, e “quando se tratar de necessidade voltada ao interesse público”. No entanto, a exceção só pode ser executada mediante autorização da Secretaria da Fazenda.

Conforme informações repassadas pela Secretaria da Fazenda à Rádio Gaúcha, as despesas puderam ser reduzidas em R$ 1 bilhão em 2015, devido à vigência do decreto ao longo de todo o ano. Uma das áreas que teve maior redução no valor gasto se refere às diárias. Em 2014, o Estado havia gasto R$ 129,6 milhões com diárias. Em 2015, este valor foi reduzido para R$ 72,3 milhões. Já as despesas com passagens aéreas, que em 2014 somaram R$ 7,6 milhões, este ano caíram para R$ 2,7 milhões.

GAÚCHA