Guarita com layout diferenciado chama a atenção dos veranistas de Tramandaí

156
Proposta de alteração das guaritas do litoral gaúcho surgiu no início da temporada | Foto: Guilherme Testa
Proposta de alteração das guaritas do litoral gaúcho surgiu no início da temporada | Foto: Guilherme Testa

Ideia da construção de uma estrutura desmontável de madeira é diminuir o custo de manutenção

A construção de uma guarita com layout diferenciado chama a atenção dos veranistas de Tramandaí. Desde o início da semana, homens erguem a estrutura de madeira ao lado da antiga guarita de concreto de número 145. No sábado, partes do telhado estavam sendo finalizadas. Localizada na área central de Tramandaí, essa é a segunda guarita diferenciada do litoral. A primeira fica em Imbé. Lá, o novo arranjo de madeira já tomou o lugar do antigo posto de salvamento e é oficialmente a guarita de número 127.

A proposta de alteração das guaritas do litoral gaúcho surgiu no início da temporada, mas não foi bem aceita pela maioria das prefeituras. Imbé foi a primeira a abraçar o projeto e se responsabilizou pelos custos totais da obra. Em Tramandaí, a nova “casa” dos salva-vidas também foi paga pela prefeitura. “A ideia é uma guarita que tenha um padrão construtivo diferente e um espaço maior, possibilitando uma condição de visibilidade melhor que a anterior. A estrutura é projetada para ser retirada da beira-mar ao final a temporada. Será desmontada e recolhida”, explica o major Julimar Fortes, coordenador da Operação Golfinho.

A alternativa foi criada para tentar melhorar tanto a condição de trabalho dos salva-vidas quanto a conservação das guaritas. “Todo o ano é o mesmo problema, chega na praia e não tem guarita ou elas precisam de reforma”, aponta Fortes. A ideia é que, a longo prazo, as 228 guaritas do litoral Norte e as 33 do Sul sejam substituídas pelo novo modelo.

Hoje, a prefeitura de cada município litorâneo é responsável pela conservação dos postos de trabalho dos salva-vidas durante o verão. A ideia da construção de uma estrutura desmontável de madeira é diminuir o custo de manutenção e tornar possível a retirada ao término da temporada, evitando depredação durante o inverno.

CORREIO DO POVO