Salva-vidas permanecem no litoral somente até o fim do mês

207
Foto: Rodrigo Ziebell/SSP  Operação Golfinho segue até o final do mês no litoral gaúcho
Foto: Rodrigo Ziebell/SSP
Operação Golfinho segue até o final do mês no litoral gaúcho

Número de afogamentos registrou queda neste ano

No final do mês, a 46º Operação Golfinho finaliza sua atuação no litoral gaúcho. Até aqui, o saldo desta edição é considerado positivo. “Comparando com igual período da edição passada, houve redução de 52% nos salvamentos e 45% nas mortes. O trabalho em conjunto possibilitou essa diferença e um balanço positivo no trabalho realizado em todo o litoral”, enfatiza o comandante da Operação Golfinho, major Julimar Fortes.
No ano passado, sete pessoas morreram afogadas em praias do litoral norte e balneários de águas internas. Este ano, esse índice teve queda de 28%. O número de salvamentos também apresentou redução. Somente no litoral norte, que concentra a maioria dos balneários de mar, de 19 de dezembro a 1º de fevereiro esse índice ultrapassa 51% de diminuição no número de pessoas retiradas das águas pelos salva-vidas. Na edição anterior da operação, no mesmo período, 1.046 pessoas haviam sido salvas. Em 2016, foram 505 casos.
No litoral sul, houve 62% de redução. No ano passado foram 97 salvamentos, enquanto que no período da operação atual, 37 pessoas foram salvas. Nos balneários de águas internas, são 51 casos até o início de fevereiro, 26% de redução em relação ao mesmo período do ano anterior, que registrou 69 casos. “Os veranistas estão mais prudentes, buscando informações e prestando atenção onde se localizam as guaritas e entrando no mar observando as bandeiras.”
Efetivo 
De acordo com o comandante, durante a semana, de segunda a sexta-feira, dos 761 profissionais preparados para atuar na operação no litoral norte e outros cem no litoral sul, 8% deles retornam. Nos finais de semana, o efetivo total volta a agir nas guaritas das praias. “Isso já estava no planejamento, pois sabemos que neste ano o veraneio seria em um período menor do que o ano passado.”
Cuide-se na água
– De acordo com o Corpo de Bombeiros, o ideal é, em primeiro lugar, procurar um local conhecido e onde exista sempre a presença de guarda-vidas.
– Para evitar acidentes, é preciso respeitar as bandeiras e os avisos.
– Lembre-se: o mar requer cuidado. A principal recomendação para garantir sua segurança é ter noção dos riscos e assumir uma postura preventiva.
– Seja prudente. Não superestime sua capacidade de nadar.
– Evite locais sem a presença de guarda-vidas.
– Em água doce ou salgada, procure locais rasos e sem correnteza.
– Crianças exigem cuidado redobrado. Fique sempre ao lado delas.
– Não tente salvar pessoas vítimas de afogamento sem estar habilitado. Neste caso, lance algum objeto que a ajude a flutuar e acione guarda-vidas ou a emergência pelo telefone 193.
– Objetos flutuantes (boias e pranchas) passam falsa impressão de segurança. O ideal é optar por um colete salva-vidas.
– Antes de mergulhar, certifique-se da profundidade. Um acidente pode provocar sequelas irreversíveis.
– Nunca nade após ingerir bebidas com álcool, alimentos ou se estiver passando mal ou com frio.
– Sempre acate as orientações dos guarda-vidas.
JORNAL NH