Veículos com torre de obervação e câmeras serão usados para segurança da Festa da Uva de Caxias

128
Caminhão foi adquirido durante a Copa do Mundo de 2014 Foto: Brigada Militar de Caxias do Sul / Divulgação
Caminhão foi adquirido durante a Copa do Mundo de 2014
Foto: Brigada Militar de Caxias do Sul / Divulgação

Aeronave e módulo móvel da polícia comunitária também estarão nos Pavilhões

Pioneiro
A Festa da Uva de Caxias do Sul não deve sentir os reflexos da crise estadual, pelo menos no que compete à segurança. Falta de efetivo e corte de horas extras, por exemplo, temas recorrentes quando se aborda as principais dificuldades da polícia gaúcha, devem passar longe dos Pavilhões.  Aliados serão também três caminhões – plataformas de observação elevada – uma aeronave e um módulo móvel de policiamento comunitário, disponíveis para a segurança da festa, que começa nesta quinta, e dos desfiles na Plácido de Castro.

Das três plataformas de observação elevada, duas são do comando da Brigada Militar de Porto Alegre e apoiam o policiamento ostensivo por meio de vídeo monitoramento. Adquiridos para a Copa do Mundo de 2014, já foram usados no Planeta Atlântida, na Expointer, em jogos da dupla Grenal e, por último, na Operação Golfinho. Pela primeira vez, a tecnologia será usada em Caxias.

— A aeronave e o módulo móvel de policiamento também são do comando de Porto Alegre. Estamos tentando articular para que estes permaneçam em Caxias, sob a gestão da região — explica o comandante do 12º BPM, tenente-coronel Ronaldo Buss.

Ao todo, cerca de 300 homens circularão pelo parque da festa e nos desfiles, em uma ação integrada entre a Brigada Militar, Guarda Municipal, segurança privada, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e fiscalização de trânsito. O secretário Municipal de Segurança, Roberto Louzada, afirma que o número da equipe de segurança se aproxima da edição anterior do evento.

Este ano, não haverá apoio de policiais militares de outras cidades, a exemplo do que ocorreu em 2014, quando 60 PMs da região reforçaram a segurança da festa. Em contrapartida, horas extras foram autorizadas aos policiais lotados em Caxias.

— Fizemos um feedback e vimos que aqueles que vêm de fora tem dificuldade na prestação de informações aos visitantes. Avaliamos nossa situação e, com as horas extras autorizadas durante o período, vamos conseguir fazer o policiamento da festa sem afetar a segurança da cidade — garante o tenente-coronel Ronaldo Buss.