Agência é alvo de bandidos em Mata

127

12801225_1129535267078227_4795277167276243888_nCriminosos arrombaram uma agência do Banrisul no município de Mata, na noite de quarta-feira (23/03). O banco fica na Rua do Sertão, Centro.

A Brigada Militar (BM) de São Vicente do Sul foi avisada do crime, por volta das 21h, por um guarda responsável pela segurança da agência. Os policiais apontam que os bandidos abriram um caixa eletrônico com maçarico. A quantia em dinheiro levada não foi divulgada.

Não há informações sobre quantos criminosos participaram do assalto, pois o local não conta com câmeras de segurança. A BM fez rondas na região, mas não localizou suspeitos de terem cometido o crime.

O local foi isolado e a Polícia Civil fará a perícia na manhã desta quinta-feira (24/03).

Fonte: Diário de Santa Maria

Do G1 RS 18/07/2015

Sete cidades passam a compartilhar efetivo da BM na Região Central

Patrulhamento intermunicipal foi adotado no início da semana.
Medida é em função da falta de policiais e corte de horas extras, diz BM.

Sete municípios da Região Central do Rio Grande do Sul estão compartilhando o efetivo da Brigada Militar desde o início da semana. A medida foi adotada por causa da falta de policiais e do corte das horas extras, como mostra a reportagem do RBS Notícias (veja o vídeo).

O posto da Brigada Militar de Mata só fica aberto durante a tarde, de segunda a sexta-feira. Fora desse horário, não adianta ligar para o 190, porque não tem ninguém para atender. O número para chamadas que está na porta do posto é o da Brigada Militar de São Vicente do Sul, que fica a 30 quilômetros do município.

O efeito se divide para o atendimento de ocorrências e o patrulhamento entre os dois municípios. Segundo a Brigada Militar, a medida foi tomada para compensar o déficit no efetivo, que é de 30% nos 29 municípios da região, que conta com 1,1 mil policiais.

A população não gostou da mudança. “Para o chamado, vai demorar  muito tempo. Então, melhor que a Brigada estivesse aqui para poder chegar mais rápido quando a gente precisa”, diz a costureira Letiani Antonini.

O comandante regional da Brigada Militar, Worney Mendonça, diz que o efetivo das duas cidades só consegue cobrir todos os turnos se um policial trabalhar sozinho. Com as duas patrulhas, é possível trabalhar com pelo menos dois policiais.

“A redução de horas extras e a falta de efetivo que nos levou a adotar essa alternativa. Eu tenho que dar uma garantia de segurança para esses policiais e uma condição mínima de dinâmica e segurança para que eles possam atuar”, afirma o comandante.

Na terça-feira (21), representantes da prefeitura, das agencias bancárias e comerciantes vão ser reunir para tentar reverter a situação.

“A população já se propôs a fazer abaixo-assinado e protestos ou até uma ação junto ao Ministério Público para resguardar seus direitos previstos na Constituição”, diz o secretário de administração, João Batista Misievicz.

Ao contrario de Mata, São Vicente do Sul tem posto 24 horas da Brigada Militar. Mas quando a patrulha está na cidade vizinha, os policiais precisam sair da sede para atender alguma ocorrência.

A situação também preocupa os moradores do município. “Deveria ter um efetivo melhor em cada município, seria essencial para a segurança. Então seria mais importante ter aqui, ao invés de fazer rodízio”, lamenta o professor Laurício Bighelini da Silveira.