Com renovação de convênio, PMs voltam a morar em escolas de Sapucaia

251

17_03_16diego2sap-1384657Medida garante mais segurança para a comunidade escolar de 12 instituições de ensino do município

Sapucaia do Sul – ”Um verdadeiro super herói”. Isso é o que pensa a diarista Raquel Dutra, 48 anos, a respeito do policial militar, Ageu Lourenço de Melo, 29 anos, residente na Escola Municipal de Ensino Fundamental Prefeito Walmir dos Santos Martins. O estabelecimento de ensino é um dos 12 no município que dispõe de um soldado da Brigada Militar como morador. A medida se dá em função da renovação do convênio entre o 33º Batalhão de Polícia Militar e o município.
Além da escola localizada no bairro Colina Verde, são beneficiados ainda as escolas Aurialicia Chaxim Bes, Justino Camboim, Prefeito João Freitas Filho, Rosane Amaral, Júlio Casado, Marechal Bitencourt, Vanessa Ceconet, Francisco Greiss, Getúlio Vargas, Alfredo Juliano e João de Barro.
Residindo em uma casa construída no pátio da escola, Lourenço diz estar integrado a comunidade escolar. ”Faz um ano que estou morando aqui e desde minha chegada me sinto muito bem, participando, inclusive, das atividades da escola. Temos um vínculo muito grande com a direção e os alunos acabam nos respeitando, porque percebem ter alguém para garantir a segurança”, declara. Natural de São Luiz Gonzaga e há 4 anos atuando como policial militar, Lourenço diz que os benefícios são mútuos. ”Eu tenho a responsabilidade de atender a escola, mas, ao mesmo tempo, também sou beneficiado por não ter de pagar aluguel”, comenta.
17_03_16diego5sap-1384688Locais com a presença de policiais deixaram de ser alvos de arrombamentos
Para a diretora Débora Camargo da Rocha, o projeto é uma garantia de segurança e deveria se estender a todos os estabelecimentos de ensino. Segundo ela, quando não havia a presença de um PM residente, a escola chegou a sofrer três arrombamentos em um único mês. Ela destaca que o policial tem auxiliado inclusive na orientação dos estudantes. ‘
‘Quando percebemos algum problema com um aluno, ele faz uma conversa no sentido de orientá-lo e também sua família”, observa. Estudante do terceiro ano, Yudi Miguel Freitas da Silva, 8, se diz bem mais seguro com a presença do policial. ”Eu e meus irmãos estamos bem mais tranquilos”, relata.
De acordo com o secretário municipal de Educação, Luciano Rodrigues, o convênio tem se mostrado bastante eficiente. Conforme seu relato os locais com a presença de policiais deixaram de ser alvos de arrombamentos, em função disso uma das ideias é ampliar ainda mais o convênio e chegar aos 28 estabelecimentos de ensino. ”Podemos observar o antes e o depois. A escola Alfredo Juliano, por exemplo, chegou a ter quatro arrombamentos em pouco mais de uma semana. Com a chegada do policial militar não tivemos mais ocorrência”, comemora.
JORNAL VS