Operação-padrão de agentes penitenciários termina com centenas de audiências de custódia adiadas no RS

128

thumbMedida decorreu de parcelamento de salário

Agentes penitenciários do Rio Grande do Sul confirmaram, para esta terça-feira, o fim da operação-padrão deflagrada pela categoria no sistema prisional. O protesto, deflagrado na segunda-feira passada, decorreu do parcelamento de salários, aliado à falta de efetivo e de condições de trabalho.

O Sindicato dos Servidores Penitenciários do Rio Grande do Sul (Amapergs) informou que mais de 500 audiências de custódia deixaram de ser realizadas em meio à mobilização. O cálculo é do diretor da entidade, Cristiano Fortes. “Amanhã, vamos dar encerramento à operação-padrão, mas sempre priorizando a questão da segurança e falta de efetivo. Na Grande Porto Alegre, temos plena certeza de que mais de 500 audiências não foram realizadas nesse período”, avaliou.

Em contrapartida, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) confirmou o adiamento de 276 audiências, em função do baixo efetivo de servidores fazendo o transporte de presos com processo em andamento.

O Amapergs adverte que novas operações-padrão podem ser realizadas, nos próximos dias. Hoje, o déficit é de 3,5 mil agentes, segundo Fortes. Durante o protesto, a escolta de presos para audiências ocorreu apenas em viaturas com condições de trafegabilidade e segurança. Detentos do complexo prisional de Charqueadas foram, segundo o sindicato, os que sentiram o maior impacto.

Fonte:Lucas Rivas/Rádio Guaíba