Quatro suspeitos são detidos pela morte de bombeiro da reserva

129
Os suspeitos foram abordados no bairro Humaitá, em Porto Alegre Foto: Paulo Ledur / Twitter/Reprodução
Os suspeitos foram abordados no bairro Humaitá, em Porto Alegre
Foto: Paulo Ledur / Twitter/Reprodução

Adolescente de 17 anos foi o responsável por efetuar disparos que mataram a vítima em Canoas

Os quatro suspeitos da morte do bombeiro da reserva Maurício Ezequiel da Silva, 54 anos, morto durante assalto a um posto de combustível na noite de sexta-feira (11), em Canoas, foram detidos na madrugada deste domingo (13). O grupo trafegava pelo Bairro Humaitá, em Porto Alegre, em um Renault Clio prata – o mesmo utilizado durante o crime – quando foi abordado pela Brigada Militar, por volta da meia-noite. Eles tentaram fugir, mas acabaram detidos.

Dois adolescentes de 17 anos, um jovem de 18 anos e uma mulher foram levados à Delegacia de Pronto Atendimento de Canoas. A polícia ainda fez diligências na casa dos suspeitos, também no Bairro Humaitá, e encontrou a arma utilizada no crime e as roupas que estavam sendo usadas por eles, que podem ser identificadas nas imagens de câmeras de segurança do posto.

O delegado Juliano Ferreira, responsável pela investigação do caso, garante que não restam dúvidas de que se tratam dos autores.”Com exceção da mulher, todos eles admitiram a participação no crime. A mulher ficou no carro esperando, enquanto os outros três desceram para cometer o assalto. Quem atirou foi um dos jovens de 17 anos”, destaca.

A mulher e o homem foram presos em flagrante por latrocínio. Já os dois adolescentes foram apreendidos e serão levados ao Ministério Público.

O assalto aconteceu no posto Kabana, na Rua Venâncio Aires. Testemunhas informaram que houve uma discussão entre o sargento, que não queria entregar o celular, e os dois criminosos.

Após entregar o aparelho, a vítima se afasta e saca um revólver. Naquele momento, um dos criminosos se aproxima e atira três vezes. O bombeiro foi atingido por dois tiros no peito. Ele chegou a ser encaminhado ao Hospital de Pronto Socorro de Canoas, mas não resistiu.

Na tarde deste sábado (12), um cortejo conduziu o corpo do sargento até o cemitério São Vicente. Além de familiares do bombeiro, moradores dos bairros Marechal Rondon e Nossa Senhora das Graças, onde ele morava com a família, participaram da procissão.

GAÚCHA