Secretário diz não estar satisfeito com segurança no RS

143
Jacini só irá pedir novos policiais quando houver uma dose de equilibrio financeiro no RS - Júlio Cordeiro / Agencia RBS Foto: Júlio Cordeiro /Agencia RBS
Jacini só irá pedir novos policiais quando houver uma dose de equilibrio financeiro no RS – Júlio Cordeiro / Agencia RBS
Foto: Júlio Cordeiro /Agencia RBS

O secretário estadual da Segurança Pública disse nesta quarta-feira (23) que não está satisfeito com os resultados alcançados até agora. Em entrevista por telefone para rádios do interior gaúcho, Wantuir Jacini afirmou que gostaria poder estar executando o planejamento estratégico. Porém, a crise financeira não permite esse movimento. A conversa durou aproximadamente 45 minutos.

– Eu não estou satisfeito com os resultados. Eu gostaria de poder executar plenamente o planejamento estratégico, mas não o faço em razão dessas dificuldades que são conhecidas de todo o Rio Grande do Sul. Uma coisa eu posso assegurar. As polícias estão trabalhando muito, sem acomodação e até além da capacidade dos efetivos – avalia o secretário.

Jacini voltou a destacar que todo o governo tem interesse em nomear novos integrantes para a área da segurança. Porém, ele só irá encaminhar a demanda quando for assim que for possível ter uma dose de equilibrio financeiro.

Questionado sobre a possibilidade de usar policiais da reserva no Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência da Brigada Militar, o secretário destacou que a possibilidade será avaliada, assim que seja possível colocar mais PMs nas ruas. Esse expediente já é realizado nas ações de video monitoramento.

Jacini ainda informou que a prioridade das Brigada Militar será o policiamento ostensivo, com operações como a que está sendo realizada nas ações contra os desmanches de veículos, assaltos a ônibus, latrocínios e abigeatos. No trabalho de investigação, o secretário informou que o objetivo é combater o tráfico de drogas e os crimes relacionados, que correspondem a até 80% dos homicídios ocorridos no Rio Grande do Sul. Este, segundo ele, o crime que mais lhe preocupa.

Por fim, destacou que o objetivo é prender mais que em 2015, quando 120 mil criminosos foram encaminhados para os presídios. A ideia é aumentar este número para 140 mil. Porém, Jacini destacou que muitos destes bandidos acabam sendo soltos.

GAÚCHA