ZERO HORA: Bombeiro aposentado trabalhava como segurança para complementar renda

210
18085101
Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal

Maurício Ezequiel da Silva foi baleado na noite de sexta-feira em um posto de combustível 

Foi durante uma rápida saída no intervalo de trabalho que o sargento da reserva do Corpo de Bombeiros Maurício Ezequiel da Silva, 54 anos, entrou em um estabelecimento em meio a um assalto e acabou morto a tiros pelos ladrões. O crime ocorreu na noite de sexta-feira, no posto de combustíveis Kabana, no bairro Niterói, em Canoas, na Região Metropolitana.

Aposentado desde 2009 após 25 anos de trabalho no Corpo de Bombeiros, Maurício atuava havia um ano como segurança noturno de uma pizzaria em frente ao posto.

Durante o intervalo do expediente, às 21h, atravessou a rua para buscar um lanche na loja de conveniência. Ao chegar ao local, foi surpreendido por três bandidos, que o obrigaram a entregar o celular. O bombeiro tentou reagir e acabou atingido por disparos de uma arma.

Natural de Canoas, ele nasceu e morou durante toda a vida na mesma casa, no bairro Nossa Senhora das Graças. Casado com a técnica de enfermagem Irene Castilho Soares, 49 anos, ele costumava trabalhar durante a noite, mesmo durante os anos que servia para a Brigada Militar.

— Meu pai sempre se preocupou muito em oferecer para os filhos tudo aquilo que não teve, e por isso trabalhava muito, pois precisava complementar a renda. Ele era muito preocupado com a gente — relata um dos quatro filhos do casal, a jornalista Julia Soares, 24 anos.

Quando não estava em serviço, o aposentado costumava sentar-se em frente à televisão para assistir principalmente aos jogos do seu time favorito, o Internacional. Nos últimos anos, havia criado também o hábito de caminhar durante as manhãs com a mulher para melhorar a saúde. Diabético, estava se recuperando de complicações relacionadas à doença.

A dedicação com a família, descrita pelos parentes, também aparecia no trabalho. Conforme o sargento Mauro Ferreira Carneiro, 45 anos, do Corpo de Bombeiros de Canoas, ele costumava atender as ocorrências sempre com disposição:

— Trabalhamos juntos durante 25 anos, e ele sempre se mostrou um homem excepcional. Onde ele estava, os problemas eram solucionados — relembra.

Para homenagear Maurício, bombeiros do Comando de Canoas estão organizando um cortejo de carro irá levar o caixão ao cemitério São Vicente, em Canoas. O horário do enterro ainda não foi definido.

Conforme a delegada Katia Rheinheimer, da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Canoas, três bandidos chegaram ao local de carro e anunciaram o assalto. Após render os clientes e funcionários e disparar o tiro, eles fugiram com os pertences das vítimas e cerca R$ 200 do caixa do posto. Ainda não há suspeitos.

ZERO HORA