A desmoralização da polícia

155

diego-casagrande-novoPor Diego Casagrande

Antes de mais nada, uma constatação objetiva: vários setores da sociedade gaúcha e brasileira estão sob domínio cultural da esquerda gramscista. Uma vez que tenhamos isso claro, todo o resto ficará cristalino. O domínio cultural é uma das formas mais eficazes de aprisionamento e transformação de um grupo social. É eficaz porque não precisa de força, masmorras e campos de trabalho forçado, como fizeram os comunistas do passado. Surte efeito porque se dá através da mudança gradativa de ideias e valores de um povo, fazendo com que ele esteja permanentemente em autoquestionamento sobre seus princípios, ações e atitudes. Fazendo ele sentir vergonha de si mesmo e abrir mão do que aprendeu ser o certo.

Gramsci deixou claro em seus escritos que o projeto comunista internacional só seria hegemônico se aniquilasse as instituições clássicas de proteção da sociedade burguesa, abrindo caminho para o surgimento de uma nova sociedade e um novo homem. Por esta ótica, a polícia é considerada um dos principais mecanismos para manter os trabalhadores em regime de permanente escravidão. Então se faz necessário que ela seja humilhada, desprestigiada e caia em descrédito. A polícia, responsável pela manutenção da segurança, da lei e da ordem, todos valores opressores e burgueses para quem é de esquerda, é um problema, uma pedra no caminho a ser removida. Ao compreendermos isso captamos por que, mesmo quando a polícia age corretamente, é sempre alvo de desmoralização, crítica e ódio.

Nos Estados Unidos, que têm os melhores protocolos de combate ao crime do mundo, quando um bandido puxa o gatilho em área pública, ele coloca toda a sociedade em risco. É, portanto, obrigação do policial utilizar todo e qualquer recurso disponível capaz de neutralizar o delinquente, mesmo que este esteja no chão e, sobretudo, se houver dúvidas quanto à possibilidade de ele continuar atirando e ferir ou matar inocentes. Em um tiroteio onde a bandidagem tinha fuzil de guerra, pistolas, e já havia ferido dois policiais, discutir a decisão do soldado da Brigada Militar adotada em fração de segundos é gramscismo puro. A imprensa e outros setores estão cheios de gente com essa cabeça deturpada.

Agora que você já sabe do que se trata, tire as suas próprias conclusões sobre o assunto.

Diego Casagrande é jornalista profissional diplomado desde 1993. Apresenta os programas BandNews Porto Alegre 1a Edição, às 9h, e Ciranda da Cidade, na Band AM 640, às 14h. Escreve no Metro Jornal de Porto Alegre

 Jornal Metro