Efetivo da Brigada Militar é o mais baixo em 35 anos

128
Efetivo está entre os mais baixos de todos os tempos e a tendência é que até o final do ano o número reduza ainda mais
Efetivo está entre os mais baixos de todos os tempos e a tendência é que até o final do ano o número reduza ainda mais

“Os recursos humanos da BM estão muito abaixo do necessário. É a quantidade de efetivo mais baixa dos últimos 35 anos”.  Assim o presidente da Abamf reagiu à convocação do governo de 139 PMs e 39 bombeiros aprovados no concurso de 2014. Leonel Lucas lembra, ainda, que no ano passado 2,1 mil brigadianos foram para a reserva e, em 2016, já há 346 requerimentos para inatividade e mais 500 pedidos esperando análise.

O motivo de tantos brigadianos solicitarem a aposentadoria é a falta de consideração do governo estadual. Muitos soldados e sargentos que realizaram cursos e deveriam ser promovidos em maio de 2015 não tiveram a ascensão profissional. E o Executivo Estadual também não efetuou as promoções de novembro de 2015 e nem cogita entregar divisas em 2016.
O não pagamento de horas-extras, parcelamento dos salários, falta de material e o trabalho com exposição bem maior, com chance de enfrentamento sozinho com bandidos, contribui para desestimular os policiais militares. A Abamf denuncia constantemente o desmonte da segurança pública que vem sendo promovido pelo governo gaúcho. Agora, as vozes que gritam são da rua. A população clama por mais segurança através de protestos.
O governo gaúcho precisa, urgentemente, chamar mais concursados, pois mesmo nomeados agora, só estarão aptos a trabalhar nas ruas no final do ano. E, para evitar mais aposentadorias, é necessário estimular o trabalhador cumprindo a lei e publicando as promoções.

JORNAL DA MANHÃ