Empresários sinalizam ajuda para a segurança pública

180
Temor no Vale dos Vinhedos é apenas um exemplo da crise no estado
Temor no Vale dos Vinhedos é apenas um exemplo da crise no estado

Cansada de esperar pelos governos Municipal e Estadual, iniciativa privada sinaliza investimentos nos órgãos de segurança

Diante de uma situação crítica e cansados de esperar pelos recursos (que não chegam em suficiência) dos governos Municipal e Estadual, cada vez mais empresários da iniciativa privada se mobilizam para investir na segurança pública de Bento Gonçalves. No sábado, após reportagem do Jornal Semanário, um investimento de R$ 30 mil foi doado para conserto de viaturas da Brigada Militar(BM). No Vale dos Vinhedos, após um novo assalto no final de semana, os empreendores buscam alternativas para proteger os seus clientes.

Vítimas neste sábado, 2 de abril, os proprietários de um restaurante da Linha 15 da Graciema, inaugurado a menos de seis meses, acreditam que este é o único caminho e torcem que seu susto sirva como ponto de mudança. “Não é uma questão de dinheiro, mas da responsabilidade que temos com nossos clientes. Tínhamos turistas da Espanha no momento do assalto. Gostamos do Vale dos Vinhedos, de Bento Gonçalves e queremos proporcionar uma boa experiência aos visitantes. O Vale recebe mais de 300 mil pessoas por ano, não podemos estar reféns desta situação. Está na hora de nos juntarmos por uma atitude de melhora”, afirma a empresária que prefere não se identificar.

A Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale) possui a mesma opinião e busca ações cooperativas. “Como município, precisamos pensar em investir recursos para proteger os nossos recursos, e um destes é o turista. O básico é a segurança. Este turista vem pro interior pensando em um local tranquilo. Os empreendedores do Vale sabem disso e investem um valor altíssimo em segurança privada, como monitoramento e guardas. Agora, estamos tentando mobilizar e captar recursos para investir em segurança pública. Não podemos esperar os governos Municipal e Estadual, pois a situação está complicada”, comenta Marcio Brandelli, presidente da Aprovale.

Policiamento Comunitário

O que a maioria dos cidadãos reclama é a ausência policial. Esta aproximação do brigadiano com a comunidade é a base do programa de Policiamento Comunitário, que atualmente conta com oito núcleos no município. Um destes fica no Vale dos Vinhedos, porém, como em outras localidades, sua presença não é percebida pelos moradores.

Responsável pelo planejamento do policiamento ostensivo na Capital do Vinho, o comandante da 1ª Companhia do 3º BPAT, capitão Diego Caetano, admite que os problemas enfrentados fizeram o Policiamento Comunitário perder sua identidade. “Este modelo que era feito antigamente passa por dificuldades. Antes tínhamos mais efetivo. Agora, invariavelmente, precisamos chamar estes policiais dos núcleos para ajudar em outras atividades. Tivemos este enfraquecimento no Policiamento Comunitário, mas ainda há movimentações em horários estratégicos”, explica.

Jornal Semanário

logo-img (1)Doação possibilita conserto de viaturas da Brigada Militar

Empresário, que prefere o anonimato, permitiu investimento de R$ 30 mil para a manutenção necessária

Uma doação anônima da iniciativa privada irá amenizar os problemas da frota do 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (3º BPAT). A mobilização junto a Fundação Consepro ocorreu após areportagem do Jornal Semanário na edição de sábado, 2 de abril, que relatava que pelo menos 10 viaturas da Brigada Militar estavam fora de uso por falta de recursos para manutenção.

O presidente do Consepro, Geraldo Leite, comenta que recebeu ligações ainda no dia da publicação e foi angariado um investimento de R$ 30 mil. O valor corresponde a aproximadamente 70% do custo estimado. Pelo menos sete veículos devem ser recuperados.

As viaturas, algumas paradas desde setembro do ano passado, já foram encaminhadas para uma mecânica.