Jornal Semanário: Momento de conscientizar e reagir

152
Nova sala de operações recebeu doações de mobiliário e equipamentos
Nova sala de operações recebeu doações de mobiliário e equipamentos

Entidades querem mobilizar associados em busca de alternativas para conter o avanço da criminalidade no município

A crise na segurança pública do Rio Grande do Sul e do país é pública e notória. Na quarta-feira, 6 de abril, um tuíte do perfil oficial da Brigada Militar repercutiu negativamente. A mensagem aconselhava a população a carregar somente o necessário quando estiver na rua. Diante das manifestações indignadas, a postagem acabou excluída. Preocupado com a crescente sensação de insegurança em Bento Gonçalves, o Semanário procurou ouvir as lideranças de entidade sobre as alternativas para buscar formas de captar recursos e investir nos órgãos de segurança pública.

Em função disso, um encontro está previsto para a próxima semana entre presidentes de entidades e Prefeitura. Entre os temas está uma possível remodelação da Fundação Consepro, campanhas de aproximação com o empresariado e a busca de investimentos em tecnologia capazes de amenizar a defesagem do efetivo policial (afinal, por questão legal, apenas o Governo Estadual pode contratar novos policiais).

O exemplo é a parceria realizada entre o Sindilojas e o 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (3º BPAT) durante a Operação Papai Noel, em dezembro do ano passado. Na época foi criado um grupo no aplicativo do Whatsapp para aproximar policiais militares dos comerciantes da área central. “Este grupo foi uma ideia que deu certo, tanto que continua ativo até hoje. Conseguimos criar mais olhos para BM. Unidos, os lojistas se sentem mais seguros e ajudam a ação policial”, aponta o presidente do Sindilojas, Daniel Amadio.

A posição do Centro de Dirigentes Lojistas (CDL), representado por Marcos Carbone, é pela ampliação do debate e apoio a iniciativas em busca de alternativas para a segurança pública. “As entidades representativas vêm pleiteando a participação nos conselhos municipais ligados à segurança, de modo a poderem contribuir de forma cada vez mais ativa na solução dessa dificuldade que tanto assola seus associados”, declara.

 Jornal Semanário