Oscar Bessi: Execução do Comissário: a indecência do medo no RS e no país!

183

CVILPor Oscar Bessi

Eis o retrato do momento ridículo, bizarro e tacanho que vivemos. Um policial civil aposentado é executado na frente da sua casa, onde está sentado, na frente da sua família e do lar que construiu. Qual o motivo? Ser policial. Nada além.

Eis o nosso país! Eis o nosso estado!

Integrantes de uma facção criminosa, que não passam de uns bestuntos, uns analfabetos funcionais que, de posse de armas potentes vendidas por corruptos de bons trâmites, acham que são gente, inflados no ego por essa indústria torpe do narcotráfico, da violência e da podridão oficial. Então acham que podem proibir o direito de ir e vir de um cidadão. E podem! Ele têm boas armas! Eles têm a grana em dia dos seus crimes! Eles matam pra se divertir.

Podem, pois proibiram a vida de um aposentado, de um homem da terceira idade, de um policial.

E como retribui o estado que ele defendeu com o risco da própria vida por tantos anos? Dá de ombros. Deixa morrer. Enfraquece as polícias, pisa na cabeça dos policiais, finge-se de cego e surdo.

Mas o debate mais importante na televisão agora é, claro, que turma vai sugar nossos impostos. A que está ou a que quer dar golpe.

A indecência ultrapassou todos os limites. Isto é uma ditadura do medo, a intolerância que não permite nenhuma liberdade individual, a fraqueza e a falência das instituições. Fizeram o grande favor de estraçalhar e enlamear nossa democracia.

Não são apenas salários parcelados. É o respeito e a decência!

Mais sobre o tema na coluna de domingo.

CORREIO DO POVO