ZERO HORA: Servidores do Executivo receberão R$ 2 mil, enquanto o Judiciário paga R$ 40 milhões em atrasados

120

5FFF59A24186482DCACCCAE4DAAFB0091F86_RSTRIBUNAL DE JUSTIÇA PAGA R$ 40 MILHÕES EM ATRASADOS

A crise que obriga o Estado a parcelar os salários dos servidores do Executivo e a depositar somente R$ 2 mil a cada um nesta sexta-feira passa longe dos outros poderes. Com dinheiro sobrando, o Tribunal de Justiça pagou na quarta-feira uma bolada de R$ 40 milhões a juízes e desembargadores que recebem a chamada Parcela Autônoma de Equivalência (PAE), nome dado à compensação por um auxílio-moradia concedido a deputados e senadores de 1994 a 1998.

Todos os meses, os magistrados recebem em média um extra de R$ 10 mil da PAE. Em abril, o reforço foi de cerca de R$ 40 mil, 20 vezes mais do que o valor máximo a ser pago hoje a professores, policiais e outras categorias do Executivo.

Até quando os juízes receberão a PAE? O TJ não sabe, mas calcula que ainda faltem dois ou três anos.

Os R$ 40 milhões tinham sido reservados pelo presidente anterior do TJ, desembargador José Aquino Flôres de Camargo, para bancar o reajuste dos servidores do Judiciário, cuja aprovação a Assembleia, por orientação do Palácio Piratini, retardou.

PREPARANDO O TERRENO

A convite do deputado Ronaldo Santini (PTB), os chefes dos poderes irão pessoalmente à Assembleia no dia 5 de maio para fazer a prestação anual de contas na Comissão de Finanças. Santini quer prepará-los para as dificuldades que virão nos próximos meses com o agravamento da crise.

ALIÁS

O projeto que concede aumento aos servidores do Judiciário está parado na Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia. Ontem, devido à falta do quórum, a apreciação foi adiada mais uma vez. Se aprovada, a proposta segue para votação em plenário.

ZERO HORA