CORREIO DO POVO: FUTUROS SOLDADOS DA BM ENFRENTAM POLÊMICA

208

RRRACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR

Limpeza gera polêmica

Alunos soldados começarão segunda feira e já foram colocados no serviço de jardinagem, porém a medida foi criticada

CÍNTIA MARCHI

U ma turma de 207 futuros policiais militares iniciam, na segunda-feira, o curso de formação para atuar no policiamento ostensivo e nos Bombeiros. Antes das aulas, eles trabalharam ontem na limpeza do pátio da Academia de Polícia Militar. A manutenção do quartel é rotina da corporação e, segundo o comandante-geral da BM, coronel Alfeu Freitas Moreira, supre uma carência de profissionais da área de jardinagem. No entanto, não há lei que prevê a obrigação dos militares terem de executar serviços do tipo. “Isso é fruto de uma cultura equivocada que se perpetua no Brasil. Não há previsão legal nenhuma”, diz o professor de Direito Administrativo da Fundação Escola Superior do Ministério Público e doutor em Direito Público, Yuri Schneider. O professor defende que a função não cabe àqueles que estão em treinamento. “Colocar estes alunos na jardinagem serve apenas para ofender a dignidade da pessoa que fez o concurso para ser policial. O tempo de formação serve para que eles saibam usar arma, fazer o policiamento ostensivo, conter tumultos, para que, mais tarde, a própria sociedade não sofra com isso”, observa. O comandante da Brigada Militar explica que é a própria corporação que ajuda a manter sua estrutura. “Todos os policiais militares colaboram. Claro que o foco são as aulas, mas eventualmente todos podem ajudar”, destaca. Freitas lembra ainda que os alunos receberão mais de 1,5 mil horas de aula em nove meses.

CORREIO DO POVO

correeo

CCCC