Peritos prometem atrasar emissão de laudos em protesto ao parcelamento de salários

113

17843672Paralisação não prevê interferência no trabalho de campo. Ainda assim, atraso de laudos pode prejudicar andamento de investigações criminais

O Sindicato dos Peritos Oficiais da Área Criminal (Acrigs) garante que a categoria vai parar de emitir laudos por um mês a partir de 0h desta quinta-feira. A paralisação é um protesto contra o parcelamento de salários. Uma notificação foi entregue ao Instituto Geral de Perícias.

Segundo o presidente do sindicato, Rafael Moro, o salário de R$ 2,3 mil deste mês foi pago em uma parcela de R$ 1,5 mil, duas parcelas de R$ 250 e uma parcela de R$ 300. O mesmo vem ocorrendo desde fevereiro.

A paralisação na emissão de laudos pode atrasar o trabalho de investigação criminal e, consequentemente, a conclusão de inquéritos da Polícia Civil. A estimativa é de que 6,5 mil laudos sejam atrasados em todo o Estado.

Embora não entreguem os laudos, o sindicato afirma que os profissionais continuarão fazendo o trabalho de campo, nas cenas de crime.

A assembleia que decidiu pela paralisação ocorreu no dia 13 de abril, no auditório do departamento de criminalística da Capital.

*Diário Gaúcho