Reunião discute renovação do convênio do policiamento comunitário

81
Rio Grande conta com 14 núcleos de policiamento comunitário
Rio Grande conta com 14 núcleos de policiamento comunitário

Uma reunião, para discutir a renovação do convênio do policiamento comunitário e outras políticas de segurança, foi realizada na quarta (18), à noite, no comando do 6º BPM. O contrato para a continuidade do policiamento comunitário vence em dezembro, mas o Executivo já manifestou o interesse na renovação. Segundo o coordenador do Gabinete de Gestão Integrada do Município (GGI-M), Daniel Nascimento, “o programa tem tido ótimos resultados. Hoje, não conseguimos enxergar Rio Grande sem este tipo de policial nos bairros. Sem eles, nas atuais circunstâncias, seria o caos”.

O prefeito Alexandre Lindenmeyer se manifestou a respeito do programa, dizendo que vai lutar pela manutenção e renovação do contrato. “Entendo que a comunidade aprovou e tem recebido os benefícios deste convênio”, frisou o chefe do Executivo. Apoveitou a oportunidade para falar de ações tomadas pelo Executivo, no tocante à área da segurança, como o reaparelhamento da Guarda Municipal, que recebeu mais 50 armas de choque, veículos e motos. Além disso, lembrou o concurso para a Guarda Municipal, que prevê mais 40 vagas. Este concurso está em fase de publicação de edital.

Durante a reunião, o coordenador do policiamento comunitário, tenente Marcelo Azevedo, fez um relatório de todas as ações policiais e sociais, realizadas nos últimos seis meses. Entre as ações policiais, foram contabilizadas as prisões e o número de atendimentos com resposta nos bairros. Nas ações sociais, foram relatados os projetos junto às comunidades, onde o policiamento comunitário atua, como visita escolas, viagens, passeios e palestras. “O resultado destas ações também teve um saldo positivo, apesar das dificuldades, como falta de efetivo, parcelamento dos salários, entre outros problemas”, salientou Nascimento.

Positivismo

“Nestas reuniões, procuramos focar o lado positivo, ou seja, a polícia integrada com a comunidade, ressaltando valores morais e cívicos”, disse o coordenador do GGI-M. Participaram, ainda, da reunião, representantes do Executivo, Legislativo, Poder Judiciário e Polícia Civil, além de representantes do Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro).

Os núcleos

Hoje, Rio Grande tem 14 núcleos de policiamento comunitário e foi o segundo município do Estado a firmar acordo para a implantação da Polícia Comunitária, e repassa R$ 800 para cada brigadiano.

O lançamento deste convênio, com duração de 36 meses, aconteceu no dia 19 de dezembro de 2013, com a implantação de 12 núcleos de policiamento comunitário. Logo depois, um aditivo aumentou para 14 os núcleos, cobrindo assim toda a zona urbana do Município.

Há ainda o pedido do Executivo, para mais dois núcleos, com o intuito de atender a zona rural, o que ainda não aconteceu. Segundo informações do Executivo, este pedido havia sido feito para o governo do Estado anterior. Com a mudança do governo, o pedido está em compasso de espera.

Jornal Agora