VÍDEO: Tristeza e pesar marcam despedida de tenente da reserva da BM

272
Efetivo do Grupo de Ações Táticas Especiais presta homenagem ao tenente morto | Foto: Álvaro Grohmann / Especial / CP
Efetivo do Grupo de Ações Táticas Especiais presta homenagem ao tenente morto | Foto: Álvaro Grohmann / Especial / CP

José da Silva Rosa, morto em um assalto na manhã dessa terça, foi homenageado com honras militares

A cerimônia de despedida do corpo do tenente da reserva da Brigada Militar, José da Silva Rosa, 48 anos, foi marcada por forte sentimento de pesar e tristeza, além de serem prestadas honras militares, no Crematório Metropolitano São José, em Porto Alegre. O efetivo do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) do 1º Batalhão de Operações Especiais (1º BOE), onde o oficial atuou desde 1994, homenageou-o com três salvas de tiros. Houve ainda toque de silêncio. Em voz alta, os policiais militares presentes fizeram também a Oração de Operações Especiais. Familiares, amigos e colegas de farda, incluindo de outros batalhões, compareceram à cerimônia fúnebre na manhã desta quarta-feira.

A Polícia Civil esteve representada pelo efetivo do Grupamento de Operações Especiais (GOE). “Viemos nos solidarizar”, afirmou o delegado Bolívar Llantada, “O tenente era um amigo nosso e havia uma atividade paralela de muita irmandade entre o GOE e o Gate”, recordou, referindo-se aos treinamentos conjuntos e natureza tática. “Temos muito afeto e respeito por esses colegas de operações especiais”, concluiu.

Responsável pelo Comando de Policiamento da Capital da BM, o coronel Mário Ikeda esteve antes no velório. Ele disse que o tenente José da Silva Rosa será lembrado pelo seu profissionalismo, técnica, organização e dedicação. “A sua morte provocou comoção na BM”, constatou. O oficial considerou “uma grande perda”.

O tenente da reserva José da Silva Rosa, 48 anos, foi baleado e morto em um assalto na rua André Pithan, perto da esquina com a rua São Miguel, no bairro Aparício Borges, na manhã de terça-feira. Ele foi atacado por um assaltante, vulgo Micha, com extensa ficha de antecedentes criminais, que no embate foi morto pela vítima. O Tenente Zé, como era mais conhecido, havia pedido este ano a aposentadoria junto com a esposa, também tenente da BM.


Correio do Povo