Governo vai liberar horas extras e diárias para reforçar segurança

245
Governador participou da inauguração da Delegacia de Pronto Atendimento de Farroupilha na manhã desta segunda-feira Foto: Suelen Mapelli /Gaúcha Serra
Governador participou da inauguração da Delegacia de Pronto Atendimento de Farroupilha na manhã desta segunda-feira
Foto: Suelen Mapelli /Gaúcha Serra

Sartori disse hoje, na Serra, que vai anunciar pacote de medidas

Durante a inauguração da Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA) de Farroupilha, na Serra, na manhã desta segunda-feira (13), o governador José Ivo Sartori afirmou que até o início da semana que vem serão anunciadas medidas emergenciais na área da segurança pública. Entre elas, está a liberação de horas-extras e de diárias.

O governador não detalhou as medidas, mas o secretário de Segurança do Estado, Wantuir Jacini, que também estava no evento, afirmou que diárias e horas extras estão incluídas no pacote e que serão priorizadas as regiões com os maiores índices de criminalidade.

Sobre o chamamento de aprovados no último concurso para a área da segurança, o secretário disse que há possibilidade de as convocações estarem também nesse anúncio que será feito nos próximos dias.

Plano para permanência de policiais

Ainda em agenda na Serra, durante a reunião-almoço da Câmara de Indústria Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, o governador voltou a falar em segurança pública. Ele afirmou que nos próximos dias será apresentado um projeto para estimular o tempo de permanência do policial na corporação.
Sartori disse ainda que policiais civis e militares serão contratados quando o orçamento permitir, o que pode acontecer ai nda neste ano.

Também na reunião-almoço da CIC, o governador disse que busca uma solução para o retorno das aulas o mais breve possível, mas descartou corte de horas extras.  Inclusive, um grupo de professores e estudantes assou um salsichão na entrada da CIC.

Questionado sobre pedágios, o governador afirmou que antes da concessão de estradas, deve ser concedida a operação de um porto em Pelotas para beneficiamento de madeira da Celulose Riograndense e disse que o governo pretende conceder também hidrovias do Rio Grande o Sul.

GAÚCHA