JORNAL O SUL: Governo do Estado já admite descumprir Lei de Responsabilidade Fiscal para reforçar segurança

114

LEIIO governo do Estado já admite a possibilidade de ultrapassar os limites previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal para gastos com pessoal, para contratar novos policiais militares e agentes da Polícia Civil. Essa medida significará provavelmente a manutenção do parcelamento de salários para os servidores do Executivo, para cobrir os novos gastos.

Dados da Secretaria da Fazenda encaminhados ao gabinete do governador simulam o impacto financeiro das novas contratações. Para contratar 2,5 mil aprovados em concurso para a Brigada Militar, por exemplo, elevaria em R$ 9,2 milhões mensais os gastos com salários de soldados, o que significaria repercussão de 7,9% na folha de pagamento da Brigada Militar. Este valor inclui apenas o soldo, sem computar horas extras.

Na Polícia Civil

Ainda, segundo a projeção da Secretaria da Fazenda, para contratar os 660 aprovados em concurso para agente da Polícia Civil que ainda não foram chamados, o governo teria de arcar com R$ 3,4 milhões em salários, com base nos atuais vencimentos. Na Susepe (Superintendência dos Serviços Penitenciários) e no Instituto-Geral de Perícias não ocorreriam contratações, já que não existem concursados aguardando chamada. Os valores não levam em conta a tabela de reajustes aprovada ainda no governo passado, e prevê reposições até 2018 para a área da segurança pública.