Deputados vão apurar condições precárias de agentes da Força Nacional no Rio

160

condominio-forca-nacional-rioA Câmara dos Deputados quer que o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e o secretário de Segurança do Estado do Rio, José Mariano Beltrame, esclareçam a situação que os agentes da Força Nacional que participarão do esquema de segurança da Olimpíada enfrentam no Rio de Janeiro. A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara quer realizar uma audiência pública após as denúncias dos policiais civis e bombeiros, que precisam se submeter àsordens da milícia da Zona Oeste do Rio.

Agentes da Força Nacional não têm infraestrutura em alojamento
Agentes da Força Nacional não têm infraestrutura em alojamento Foto: Márcio Alves / Extra

Os agentes estão alojados no condomínio Vila Carioca, do “Minha casa, minha vida”, no bairro do Anil. Eles não podem circular armados pela Gardênia Azul e foram impedidos até de instalar internet nos apartamentos. Na manhã desta quinta-feira, os agentes continuaram a relatar os problemas ao EXTRA, como falta de água e de mobília nos apartamentos.

Televisões e geladeiras são vendidas e alugadas para os agentes
Televisões e geladeiras são vendidas e alugadas para os agentes Foto: Márcio Alves / Extra

Os agentes precisaram comprar cama, colchões e geladeiras. Os policiais e bombeiros precisam até comprar água potável. No local, algumas pessoas passaram a vender televisões e alugar máquinas de lavar e geladeiras, por R$ 650 por mês.

Draco em frente ao condomínio nesta tarde
Draco em frente ao condomínio nesta tarde Foto: Márcio Alves / Extra

Policiais da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE) realizam uma operação nesta quinta-feira na Gardênia Azul. De acordo com a Secretaria estadual de Segurança, são operações de rotina de combate a grupos paramilitares na região, e as principais lideranças da quadrilha estão presas. Hoje, 20 agentes estão na comunidade para “coibir qualquer tipo de atividade criminosa”, segundo a secretaria.

Agentes da Força Nacional precisam comprar água potável
Agentes da Força Nacional precisam comprar água potável Foto: Márcio Alves / Extra

De acordo com requerimento assinado pelo vice-presidente da comissão, o deputado Ezequiel Teixeira, são inaceitáveis as condições vividas pelos agentes: “O contingente está trabalhando em condições sub-humanas, alojado em apartamento sem camas, chuveiro e até mesmo sem água, além de não ter recebido o pagamento das diárias”.

O texto ressalta que a “situação absurda pode influenciar e prejudicar a atuação dos agentes da Força Nacional que se encontram em posição de vulnerabilidade, colocando em risco a integridade física da tropa e da população.”

Condomínio fica na Zona Oeste do Rio
Condomínio fica na Zona Oeste do Rio Foto: Márcio Alves / Extra

O requerimento completa que a situação é inconcebível, já que recentemente o Estado do Rio recebeu um repasse de R$ 2,9 bilhões do Governo federal para serem investidos na segurança pública e que a “Força Nacional foi convocada, justamente, para atuar diante do caos na segurança pública do Rio de Janeiro e, agora, os agentes encontram-se desamparados pelo Estado”.

Confira a nota da Secretaria de Segurança:

A Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE) realiza operações de rotina de combate a grupos paramilitares na região da Gardênia Azul, na zona oeste do Rio. As principais lideranças desta quadrilha estão presas.

Este ano, a delegacia especializada já prendeu duas pessoas que atuavam pela quadrilha e pediu 8 mandados de prisão à Justiça.

Hoje, 20 agentes da DRACO/IE estão na comunidade para coibir qualquer tipo de atividade criminosa.

EXTRA