SEPULTAMENTO DE PM CACHOEIRENSE É MARCADO PELA EMOÇÃO

226

ca4bb8fc835f0ef0463a30abc8a1b366-jornal-em-cachoeira-do-sulO sepultamento do policial militar cachoeirense Luiz Carlos Gomes da Silva Filho, 29 anos, foi marcado pela emoção, no final da tarde desta terça-feira, 5. O corpo do soldado, assassinado durante confronto com bandidos em Porto Alegre, foi enterrado no Cemitério dos Kiefer, no interior de Cachoeira do Sul.

Além de policiais militares, os atos fúnebres tiveram a presença de autoridades que representaram instituições como o Judiciário, Polícia Civil, Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Ministério Público, Grupo de Ações Especiais de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal. O caixão com o corpo do PM foi levado da capela velatória da Funerária Madre Teresa da Rua Aparício Borges até o Cemitério dos Kiefer.

Dezenas de veículos, boa parte deles viaturas policiais, participaram do cortejo fúnebre que cortou a Zona Norte da cidade e a BR-153 até o Rincão dos Kiefer, onde aconteceu o enterro. Um dos irmãos de Silva Filho, Luis Fabiano Azambuja da Silva, o Tião, ficou emocionado com a presença maciça de policiais, vizinhos e autoridades no velório e no enterro. “Meu irmão foi um herói. Ele deve estar lá em cima sorrindo com o tanto de gente gosta dele”, disse, durante o sepultamento.

O sepultamento de Silva Filho foi realizado com honras militares e teve também a presença de colegas de farda de Porto Alegre, onde o soldado atuava junto ao Quartel-General da Brigada Militar.

Sirenaços foram registrados nas cidades de Porto Alegre, Passo Fundo, Marau, Erechim, Cachoeira do Sul e Caxias do Sul.

Polícia tem novos suspeitos da autoria do assassinato

A 6ª Delegacia de Homicídios tem novos suspeitos da morte do policial militar Luiz Carlos Gomes da Silva Filho, 29 anos, ocorrida durante abordagem a suspeitos de terem roubado um veículo. O crime foi na tarde de segunda-feira, 4, na Rua Florinha, Bairro Cavalhada, zona sul de Porto Alegre.

De acordo com a Polícia Civil, são pelo menos dois homens. Mesmo com essa nova apuração, os suspeitos apresentados pela Brigada Militar na segunda-feira, 4, seguem sendo investigados. São três homens e um adolescente. Dois foram liberados porque não foram reconhecidos. Um adulto foi mantido preso pelo fato de que estava foragido e o adolescente por estar envolvido em infrações anteriores.

No entanto, ele teve internação provisória decretada por 30 dias na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase) para averiguações posteriores. A Polícia ainda analisa as imagens e tenta obter novas filmagens que definam melhor o rosto dos dois assassinos.

Confira fotos e dois vídeos do último adeus ao soldado Luiz Carlos Gomes da Silva Filho (Fotos e vídeos: Milos Silveira)

O CORREIO