GAÚCHA: Oficial de Justiça diz que Piratini mentiu sobre ausência de Sartori em entrega de notificação; governo nega

183

17558979 (1)Um oficial de Justiça do Estado escreveu um relatório sobre uma notificação judicial ao governo do Estado em que afirma que a assessoria de José Ivo Sartori mentiu ao afirmar que o governador não estava no Palácio Piratini para assinar o documento. O governo nega.

O servidor do Judiciário Alcides Mércio Vicente foi até o Palácio Piratini no dia 8 de agosto para notificar o governo do Estado de uma decisão relacionado ao presídio de Canoas, mas afirma que recebeu a informação de uma assessora do gabinete de que Sartori não estava no local. No entanto, no mesmo horário havia uma cerimônia do governador com o embaixador do Sri Lanka.

O oficial de Justiça escreveu no relatório, com data de 24 de agosto, que não se convenceu da negativa da assessoria, já que no mesmo momento profissionais da imprensa saíram do gabinete de Sartori. Ele tentou entrar na sala para entregar a notificação, mas foi impedido pelos seguranças.

No dia seguinte, o oficial viu no site do governo estadual a notícia da cerimônia entre Sartori e o embaixador, ocorrida no mesmo horário em que tentava entregar a notificação. O profissional, então, escreveu o relatório, anexado ao processo e entregue ao governo estadual, em que fala que a assessoria mentiu e que tentou “blindar” o governador.

A notificação dava um prazo de 10 dias ao governo para apresentar um cronograma de abertura de vagas no Presídio de Canoas.

Em nota o governo do Estado disse que em nenhum momento foi dito que o governador não estava no seu gabinete. E afirma que o oficial de Justiça tentou entrar no gabinete, o que não é padrão nesses casos. As notificações judiciais, segundo a assessoria de Sartori, são entregues na Casa Civil.

Leia a posição do Governo Estadual:

“1. Em nenhum momento foi dito que o governador não estava no Palácio, e sim que não estava em seu gabinete. No gabinete estava uma comitiva internacional;

2. É prática que as intimações judiciais sejam recebidas pela Casa Civil. Caso contrário, o Palácio Piratini ficaria impedido de administrar a agenda do governador.

3. O governador assinou todas as intimações que recebeu até hoje.

4. O Oficial de Justiça deve cumprir seu trabalho sem gerar tumulto no cotidiano do intimado, quanto mais do governador do Estado. Este Oficial, além de contrariar essa prática, tentou ingressar diretamente no gabinete em uma clara exorbitância.

5. A intimação em questão foi regularmente assinada pela subchefe Jurídica da Casa Civil.”

Documento de oficial de justiça mostra q Piratini mentiu sobre ausência de Sartori p/ser notificado pelo judiciário