Rádio Guaíba: Brigadianos convocados hoje entrarão em serviço em junho de 2017

143

aqttOs 530 brigadianos precisam apresentar em exames médicos e passar por curso de 7 meses

CONFIRA EDITAL

Os 530 brigadianos convocados oficialmente nesta sexta-feira – através de publicação no Diário Oficial do Estado – estarão prontos para trabalhar no policiamento ostensivo e no Corpo de Bombeiros somente em junho do ano que vem. Isso porque os cursos de formação dos futuros policiais e bombeiros têm duração de sete meses, com previsão de início no último dia de outubro. Até lá, há período para entrega e análise de  exames, vida pregressa e recursos.

Do grupo, 424 serão formados como policiais e e outros 106 serão bombeiros. Os treinamentos ocorrem tanto em Porto Alegre quanto em Osório e Montenegro. A partir de três meses de curso, o grupo pode ser convocado para participar de estágios.

A convocação de brigadianos foi autorizada na quarta-feira e é parte da implementação do chamado Plano Estadual de Segurança Pública, anunciado pelo governador José Ivo Sartori em junho. Até 2018, devem ser chamados 2 mil.

Nas últimas semanas, também foi autorizada a convocação de 221 policiais civis. A previsão é de chamamento de 650 agentes da Civil até o fim de 2018.

Perícias

Nesta semana, o governador Sartori autorizou a abertura de concurso público para 106 novos servidores para o IGP. Serão 35 vagas para perito criminal, 35 para médico-legista e 36 para técnico em perícias. Para a Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) também haverá abertura de concurso, mas ainda não há prazo para a medida.

Alcance

O alcance das medidas anunciadas em junho não convenceu as entidades de servidores da BM e da Polícia Civil. Conforme a Associação de Cabos e Soldados do Rio Grande do Sul, só na Brigada Militar, mais de mil PMs já se aposentaram, em 2016. O risco, ainda conforme a Abamf, é de que o número de aposentadorias chegue a três mil, até o fim do ano. O déficit de PMs, conforme o presidente da Associação, é de 22 mil: há hoje 15 mil policiais para um efetivo ideal de 37 mil.

Já a Ugeirm Sindicato, que representa os policiais civis, receia que dos 650 aprovados para a corporação, só 280 sejam chamados ainda em 2016. A entidade projeta que o total de servidores chegue hoje a 5,2 mil, entre agentes e delegados, e pondera que o efetivo ideal é de cerca de 10 mil.

Fonte:Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba