ABAMF quer solução para pagamento dos salários em dia

304
Brigadianos e esposas ficaram ajoelhados na porta do Palácio Piratini na véspera de finados. Morte da lei que ordenava o pagamento dos salários no final do mês trabalhado.
Brigadianos, esposas e viúvas, ficaram ajoelhados na porta do Palácio Piratini na véspera de finados. Morte da lei que ordenava o pagamento dos salários no final do mês trabalhado.

A ABAMF segue protestando e debatendo formas de combater a falta de ação do governo do RS para normalizar o pagamento do salário dos servidores e investir nos serviços prestados à população. A preocupação da entidade ganhou mais um amargo ingrediente: o governo cogita não respeitar o calendário de aumentos aprovados em 2014. Para o presidente da ABAMF, “caso o índice que deve  ser reposto em novembro não apareça no contracheque, ao final do mês, a categoria iniciará aquartelamento até o cumprimento da lei. Os brigadianos já estão recebendo em gorjetas e o governo ainda pretende furtar algumas moedas; não é aceitável”.

Sobre o projeto que reajusta a gratificação para os inativos que retornarem ao serviço, Leonel Lucas foi enfático: “é uma medida paliativa. Levará tempo, mas é necessário repor o efetivo, melhorar a remuneração, pagar em dia e aprovar um plano de carreira para tornar a profissão mais atrativa. Além disso, investimentos em armamento, coletes balísticos e comunicação, são fundamentais porque os bandidos estão organizados em grandes grupos e muito bem armados”.

Enquanto os brigadianos tiverem que se preocupar com o policiamento e com o  pagamento dos salários, a situação estará complicada.

QUEM TRABALHA QUER RECEBER O SALÁRIO EM DIA.

ONDE ESTÁ A JUSTIÇA?

Paulo Rogério N. da Silva

Jornalista ABAMF