ACRE: Suposta conversa entre Julio Cezar e oficial vaza na rede

206
Luciano Tavares, da redação ac24horas

A Associação dos Militares do Estado do Acre vai denunciar à Corregedoria da corporação e ao Ministério Público uma suposta conversa entre o comandante da Polícia Militar, coronel Júlio César, dando ordem a um outro oficial, possivelmente do Comando de Cruzeiro do Sul, para que pressionasse seus subordinados a não participarem da manifestação da categoria ocorrida no último dia 07 dezembro contra o corte da etapa alimentação. O print da conversa circula em diversos grupos de WhatsApp.

A pessoa, que seria o coronel Júlio César, orienta: “Faça de tudo para seus policiais não ir para a manifestação”. O outro suposto oficial responde: “Os oficiais estão comigo e praça não pensa, só executa. Aqui não tem vez para assembleia. Praça que vai para assembleia atrás de mais trabalho e aí vou apertar a escala aqui”.

Júlio César continua: “Cuidado para não parecer que foi ordem minha ou do governador”, e completa que “se os policiais da ativa se unirem com os da reserva aí pega fogo. A inteligência pediu pra isso não acontecer”. “Copiado, coronel. Aqui não darei mole pra isso acontecer”, diz a outra pessoa.

O suposto comandante da PM encerra a conversa cobrando um texto de apoio e acrescenta que “o governo e o comando da PM podem ser a determinante entre os próximos promovidos e os que continuarão esperando a bênção do governandor. Determino que faça um texto com assinatura de todos os oficiais das unidades dando apoio a mim. Falar com o Pinheiro para pegar o modelo do texto”. O subordinado jura lealdade: “Estou com o senhor e com o governo, coronel Júlio. Vou ligar para o Pinheiro e pedir o modelo. Força, honra e lealdade ao comando”.

Por coincidência, no dia 07 deste mês, quando foi realizada uma manifestação convocada pela Associação dos Militares contra o fim da etapa alimentação, 18 oficiais da PM em Cruzeiro do Sul assinaram uma moção de apoio e reconhecimento ao Comando Geral, elogiando o coronel Júlio César pela “determinação e afinco nas negociações junto ao governo por permanecer firme à frente da tropa lutando pelo melhor para a família policial militar e pelos nossos anseios de seres humanos”.

Em nota, a Associação dos Militares diz que “repudia de forma veemente o conteúdo textual das imagens amplamente divulgadas nas redes sociais em que supostamente o Comandante da Polícia Militar do Acre, o senhor coronel Júlio César, conversa com outro oficial a respeito de uma assembleia geral”.

joelson
Joelson Dias, da Associação dos Militares

“Por mais que seja prematuro realizar acusações a respeito da autoria, cabe ao senhor comandante geral se manifestar de maneira oficial a respeito dos fatos e providenciar total publicação, dando assim satisfação à tropa”, completa a Associação.

O comandante da PM, Júlio César, disse que o conteúdo envolvendo o nome dele é falso. “Como é ridículo um print que está circulando nas redes sociais intitulando a minha pessoa. Um texto que fala mal das praças como impondo uma negociação é tudo muito falso. As pessoas que trabalharam comigo sabem que não utilizo desse texto, de argumentos. Basta copiar e colocar num perfil. A partir daí você começar a teclar de um para o outro criando uma conversa e depois você printa e posta.”

pm
Coronel Julio Cezar

Ele não descartou motivações políticas dentro da corporação para prejudica-lo. “Mostra como a velha política, os políticos que estão dentro da nossa corporação tentam se apoderar desse momento difícil que a gente passa, mas que existe uma solução já dada pelo governo.”

À reportagem do ac24horas, Júlio César disse que o conteúdo é uma “montagem grosseira. Não precisa nem de programas pra isso.É tudo muito falso”.

Sobre a coincidência entre a moção de reconhecimento e a orientação, conforme revela o print, para que ele fosse homenageado pelos oficiais, o comandante se limitou a dizer que tudo está em apuração.