Grupo pede justiça em protesto contra morte de PM em São Gabriel

112

Segundo organização e Brigada Militar, cerca de 300 pessoas participaram.
Além de policial militar, adolescente de 16 anos também morreu em confusão.

Do G1 RS

Um grupo de pessoas protestou na terça-feira (27) contra a morte de um soldado da Brigada Militar durante uma briga em um posto de combustíveis de São Gabriel, Região Central do Rio Grande do Sul. O caso ocorreu na madrugada de domingo (25). Além do PM Bento Junior Teixeira Borges, 36 anos, também morreu um adolescente de 16 anos.

O protesto ocorreu no posto de combustíveis no qual ocorreu a confusão. Segundo a organização e a Brigada Militar, participaram cerca de 300 pessoas entre colegas, amigos e policiais. O grupo rezou e pediu justiça.

A confusão na madrugada de domingo começou com uma discussão entre um casal, que evoluiu para agressão, segundo a Polícia Civil. Segundo o delegado José Bastos, o soldado viu a confusão no posto que fica no acesso à cidade e se aproximou.

Vídeo mostra confusão em posto

 Uma gravação (veja vídeo acima) mostra o momento que pessoas que estavam no posto saem correndo por causa do tumulto. Nas imagens, o PM vestindo uma camisa branca aparece e interfere na brigada de dois jovens, em seguida, acaba atirando. De acordo com a Polícia Civil, dois adolescentes avançaram em direção do policial com golpes de faca.

Pela gravação, é possível ver o momento em que os duas pessoas caem feridas ao mesmo tempo. Há uma terceira pessoa no chão também.  Outras pessoas chegam para agredir o policial com facões, barras de ferro e pedras.

De acordo com o delegado, o policial acabou desarmado. Ele chegou a ser socorrido e encaminhado a um hospital, mas a morte foi confirmada na manhã de domingo (25). Bento tinha 10 anos de Brigada Militar.

O delegado José de Bastos diz que, pelas imagens e depoimentos de testemunhas, o policial agiu em legítima defesa. Segundo a polícia, o PM atirou para se defender das facadas. A polícia agora tem 10 dias para concluir o inquérito.

Até esta terça-feira (27) foram apreendidos sete adolescentes – entre 15 e 17 anos – e presos dois homens. A policia agora tenta identificar outras quatro pessoas que teriam participado da brigada generalizada. Uma delas seria um homem que ficou ferido com uma bala perdida.