Há quatro meses, auxílio-moradia não é pago ao Policiamento Comunitário de Caxias

124
Esse modelo de Policiamento Comunitário começou a operar em março de 2012 Foto: Roni Rigon / Agencia RBS
Esse modelo de Policiamento Comunitário começou a operar em março de 2012
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O problema atinge 36 dos 72 policiais militares que integram o programa

Por: Pioneiro

Já chega a quatro meses o atraso do repasse do auxílio-moradia a metade dos brigadianos do Policiamento Comunitário de Caxias do Sul. Por questões burocráticas, o repasse não ocorre desde setembro, totalizando R$ 3.174,12 atrasados. O recurso disponibilizado pela prefeitura está reservado, porém aguarda a assinatura do secretário estadual de Segurança Pública, Cezar Schirmer, para a renovação do convênio. Enquanto isso, os policiais militares (PMs) têm retirado o pagamento do bolso. Como a proposta desse modelo de policiamento é aproximar o serviço da comunidade, muitos PMs se mudaram para as regiões onde atuam e por isso têm direito ao benefício, que era uma garantia diante dos salários parcelados.

Nesta sexta-feira, a Assessoria de Imprensa da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) reforçou que a documentação está pronta e que a assinatura pelo secretário estadual deve ocorrer nos próximos dias. O comunicado é muito semelhante ao divulgado no início do mês. A renovação será de seis meses pois Schirmer determinou uma reavaliação do programa de policiamento comunitário.

O problema atinge 36 dos 72 policiais militares que integram o programa. O major Jorge Emerson Ribas, comandante da Brigada Militar na cidade, afirma que, apesar da desmotivação dos PMs, o trabalho não foi afetado. O oficial destaca o comprometimento dos servidores com suas comunidades.