JORNAL DA MANHÃ: Ocorrência escancara fragilidade do policiamento

123

25635-320x0-4Uma ocorrência escancarou um problema bastante conhecido da sociedade gaúcha, sobretudo, nos últimos dois anos. Ainda na manhã de quarta-feira, um acidente de trânsito com danos materiais resultou em uma ocorrência de lesão corporal em Coronel Barros, depois que os envolvidos entraram em luta corporal. A Brigada Militar foi chamada para conter a situação, mas como o município conta com apenas um PM de serviço, uma guarnição de Ijuí precisou prestar auxílio.

A reportagem do Grupo JM esteve em contato com o prefeito eleito no município, Edison Arnt (DEM), que foi policial militar e comissário da Polícia Civil, e projeta a segurança como uma das prioridades para a administração que começa no mês que vem. “Mesmo sabendo da dificuldade, nós vamos tentar angariar mais policiais militares. Vamos buscar junto a secretaria de Segurança Pública o pedido de mais policiais para o município. Sabemos da dificuldade nessa época do ano e da necessidade de homens deslocados para operações como a Golfinho”, sinalizou.

A ocorrência teve início ainda na BR-285, quando três veículos se envolveram em uma colisão. Os condutores, inconformados, entraram em luta corporal. Um deles restou com um braço quebrado, em virtude de um golpe com uma barra de ferro.

“Foi um fato isolado, mas o município, por ser pequeno, não acontecem muitas coisas, mas quando acontece só tem um PM, sozinho e, de certa forma, está desamparado. Dependendo dos casos, o socorro pode ser tarde demais”, acrescentou.

Em contato com o comando do 29º Batalhão da Polícia Militar (29BPM), major Edilson Góes, ele revelou que a situação, acima de tudo, é uma realidade de todo o Estado. “É realidade de todo o Estado e de alguns municípios pequenos, inclusive, os da região. Temos, inclusive, os municípios de Nova Ramada e Bozano, onde vivemos com patrulhas intermunicipais que vem de outros municípios por não ter o PM nas 24h. Logo, temos municípios em situação ainda pior. Na verdade as pessoas vão se aposentando, não há reposição de efetivo e nós ficamos em uma situação difícil”, ponderou o comandante do 29º BPM.

Edilson Góes ainda lembrou que a situação em Coronel Barros é, em tese, favorável, uma vez que geralmente o município conta com dois e até três PMs escalados. “Dependendo dos casos, não conseguimos manter a escala mínima. Diante do possível sempre tentamos atender. Coronel Barros é um município próximo em que, o policiamento local, vai auxiliar toda vez que necessário”, garantiu.