Diário Popular: Policiamento desfalcado na Zona Sul

207

Policiais militares de Pelotas e Rio Grande vão reforçar efetivo em Porto Alegre e em cidades da Região Metropolitana

Por: Giulliane Viêgas

O Policiamento em Pelotas e Região Sul ficará ainda mais desfalcado durante os próximos 60 dias. Isso porque 15 policiais militares e um oficial que fazem parte do Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Sul (CRPO-Sul) foram deslocados ontem para Porto Alegre e Região Metropolitana para atuar na nova fase da Operação Avante com foco na redução dos crimes de latrocínio.

A perspectiva do governo do Estado é de que, ao total, 400 PMs de diferentes regiões do interior do Estado sejam alocados para a capital ainda esta semana.

Apesar do desfalque, o comando do CRPO-Sul garante que a atividade policial não será afetada com a medida.

Conforme o comandante da Unidade, tenente-coronel Carlos Alberto Prado de Andrade, o governo repassou horas extras para que a falta do efetivo seja compensada. A maioria dos policiais da Região Sul encaminhados à Operação Avante atuava nas ruas dos municípios. “O remanejo foi proporcional à realidade de cada batalhão. A população e o policiamento não serão prejudicados”, disse o oficial.

Por questões estratégicas, o Comando Regional de Policiamento do Sul não informou quantos militares de cada batalhão foram enviados a Porto Alegre. Entretanto, o que se sabe é que PMs do 4º BPM (Pelotas), 6º BPM (Rio Grande) e 30º BPM (Camaquã) estão reforçando o efetivo na capital gaúcha.

No ano passado, 84 policiais entraram para a reserva da Brigada Militar (BM) em Pelotas. Os dados significam que, mensalmente, o quartel do 4º BPM teve desfalque de sete militares. O efetivo do período não foi reposto.

O número de PMs que resolveram abandonar a farda em Pelotas representa 24% do efetivo total do 4º BPM que gira – segundo militares – em torno de 350 policiais.

Em julho, mais de mil aprovados no concurso da BM devem concluir o curso de formação da instituição. De acordo com o CRPO-Sul, ainda não se têm números, mas a informação é de que PMs recém-formados serão enviados à Região Sul para reforçar o efetivo.