GAÚCHA: “Fazemos o que é possível”, diz Sartori sobre segurança

205

“Estamos fazendo tudo o que podemos”, diz Sartori sobre combate à violência

Sartori falou sobre a morte de estudante de 20 anos em latrocínio

Meia hora de entrevista e apenas dois assuntos discutidos: segurança pública e as finanças do Estado. Antes de palestrar a empresários e autoridades na reunião-almoço “Tá Na Mesa”, da Federasul, nesta quarta-feira (15), o governador José Ivo Sartori falou sobre o nono caso de latrocínio em 2017 na Capital gaúcha, o de um estudante universitário de 20 anos morto na noite de ontem.

Sartori prestou solidariedade à família e comentou declarações do padrasto da vítima, que, em entrevistas, cobrou ações efetivas das autoridades. Ele reforçou que “estamos fazendo tudo o que podemos” para combater a violência no Estado.

“Eu me coloco no lugar deles (famílias das vítimas) todos os dias, em todas as horas. Em nenhum momento deixo de fazer isso. Isso aconteceu comigo, com a minha família e já aconteceu em várias situações, não apenas uma vez. Há muito tempo atrás, na minha casa, embora ninguém tenha perdido a vida”, relatou.

Sartori afirmou que, por entender ser a segurança um tema prioritário, pediu auxílio ao Governo Federal e, como resposta, foram enviados agentes da Força Nacional de Segurança. No entanto, não citou que o pedido ocorreu somente após a morte de uma mulher, baleada em um assalto ao esperar o filho na saída de uma escola na zona norte da Capital. O fato levou à demissão do antigo secretário estadual de Segurança Pública, Wantuir Jacini.

O governador também citou que o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, virá ao Estado na próxima sexta-feira (17) anunciar ações na área da segurança. A expectativa é que ele confirme a cidade que receberá um presídio federal no Rio Grande do Sul.

Além da integração entre as forças de segurança, Sartori disse que a sociedade precisa fazer a sua parte. “Tem de haver integração muito forte com a sociedade porque, com certeza, o Estado (não conseguirá) sozinho se não mudar o comportamento das pessoas na vida da sociedade”.

Sobre o envio de policiais do interior para a Capital, região mais afetada pela violência, o chefe do Executivo gaúcho afirmou que não faltarão agentes no interior.

Tá Na Mesa
Durante sua palestra, Sartori listou as ações realizadas em seu governo, destacando a necessidade de repactuação da dívida com a União. Apresentou dois vídeos institucionais, um explicando os projetos de austeridade apreciados na Assembleia Legislativa e outro mostrando “grandes ações”, algumas ainda não concluídas.

Antes da fala do governador, a presidente da Federasul, Simone Leite, fez um discurso duro, cobrando iniciativas de combate à violência. Segundo ela, a criminalidade está impactando a competitividade do Estado.

 “Hoje estamos vivenciando, a cada dia, a saída de empreendedores em função da insegurança”, pontuou.

GAÚCHA