Rádio Guaíba: “Não tem explicação”, diz comandante do CPC sobre crimes contra a vida na Capital

141

Responsável pelo Comando de Policiamento da Capital destaca a importância da chegada de novo efetivo da Força Nacional à capital

O responsável pelo Comando de Policiamento da Capital, coronel Jefferson Jacques, disse na manhã desta quinta-feira, em entrevista à Rádio Guaíba, que não há uma “explicação exata” para os casos de violência e crimes contra a vida em Porto Alegre. Conforme Jacques, o motivo seria de ordem “criminológica ou com um contexto mais profundo”. Os dados sobre violência na Capital são utilizados para tentar coibir os crimes e proteger pessoas.

Segundo o comandante do CPC, o principal problema da criminalidade está ligado ao tráfico de drogas. No entanto, questionado sobre os motivos que geram violência e mortes contra pessoas que não têm nenhuma relação direta com a criminalidade, mesmo com reforços no efetivo e em ações policiais, Jaques disse que não há uma explicação.

“A gente não explica. A gente usa esses fatos para analisar e entender o fenômeno e, principalmente, sistematizar ações que possam proteger essas pessoas. Não tem uma explicação. A explicação seria de uma ordem criminológica, ou algum contexto mais profundo. Mas do ponto de vista da execução da policia ostensiva, eu não explico. Eu analiso o fato do ponto de vista tático e monto estratégias, com minha equipe de trabalho, e vamos lutando contra a incidência criminal, para reduzir e proteger as pessoas. Esta é a minha meta”, finalizou.

Jacques também foi questionado sobre a Força Nacional de Segurança e as atividades dos novos agentes que chegaram ontem à capital. Segundo a Brigada Militar, o reforço terá o intuito de combater homicídios, através de bloqueios em áreas conflagradas, para apreender armas e drogas e prender criminosos.

Ao todo, são 102 novos policiais militares da Força Nacional na Capital gaúcha. Eles começam as atividades amanhã e atuarão nos bairros Rubem Berta, Restinga e na região da Vila Cruzeiro.

A Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul ressaltou ontem, durante a chegada dos agentes, que o efetivo é de extrema importância no combate à criminalidade em Porto Alegre.

Fonte:Eduardo Paganella / Rádio Guaíba