Pioneiro: Policial japonês destaca a força de vontade dos policiais comunitários na Serra

209
Taro Matsunaga ficará 40 dias no Brasil e auxiliará a implementação do programa em Goiás
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Exemplo japonês defende a proximidade do policial com sua comunidade para redução da criminalidade

Por: Pioneiro

Em continuação da parceria Brasil e Japão para a difusão da filosofia da Polícia Comunitária, o policial japonês Taro Matsunaga, 40 anos, visitou o trabalho desenvolvido em Caxias do Sul e Farroupilha nesta quinta-feira. Ele destacou a força de vontade dos policiais militares no Rio Grande do Sul.

— O Japão tem um baixo índice de criminalidade graças a este modelo. No Brasil, os resultados não serão imediatos, mas ajudarão. A vontade dos policiais de oferecer uma vida mais segura a comunidade é igual. Se os policiais continuarem a escutar as necessidades da população, com certeza os números de crimes reduzirão — avalia.

Matsunaga ficará 40 dias no país e irá auxiliar a implementação da Polícia Comunitária em Goiás. Antes, contudo, ele solicitou conhecer um modelo de sucesso do Policiamento Comunitário no Brasil e, por isso, veio a Serra.

A visita japonesa foi acompanhada por Luciano Ramos Ribeiro, da Coordenação Geral e Programas Estratégicos da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Ele defende uma mudança de cultura, pois só com a participação da sociedade será possível reduzir a criminalidade.

— A simples repressão, como vemos diariamente, não cura a doença. A Polícia Comunitária não é uma solução mágica, mas uma política de longo prazo. Este contato próximo da Polícia Militar com o cidadão é o que se prega no Japão. É uma cultura que está sendo adaptada no país e o Rio Grande do Sul é um exemplo deste modelo — ressalta.