SUL21: Servidores penitenciários preparam greve nacional contra Reforma da Previdência

170
No dia 9 de maio as duas federações nacionais de servidores penitenciários deliberarão sobre a deflagração de uma greve geral nacional. (Foto: Neiva Motta/Secom Susepe)

Da Redação SUL21

O Sindicato dos Servidores Penitenciários do Rio Grande do Sul (Amapergs Sindicato) mandará uma delegação a Brasília para participar da reunião, na próxima terça-feira (9), que poderá deflagar uma greve geral nacional da categoria. Os servidores penitenciários construíram uma unidade inédita em nível nacional, contra a Reforma da Previdência, que caminha para uma paralisação em todo o país.

A Federação Nacional dos Servidores Penitenciários (Fenaspen), à qual a Amapergs Sindicato é filiada e reúne entidades de 23 estados, uniu forças com a Federação Brasileira dos Servidores Penitenciários (Febrasp), que reúne entidades de quatro estados. No dia 9, as duas federações deliberarão sobre a deflagração de uma greve nacional. “Diante dos últimos acontecimentos a tendência é uma greve por tempo indeterminado, isto caso na próxima semana não seja definida a votação da PEC 308 ou não seja incluída nossa categoria nos destaques da Reforma da Previdência”, afirmou Flavio Berneira, presidente da Amapergs.

Segundo Flávio Berneira, presidente da Amapergs Sindicato, as federações, que chegaram a aprovar uma paralisação nos dias 5 e 6 de maio, decidiram suspender a mobilização por duas razões: para que isso não sirva de justificativa para descumprimento do anúncio feito durante a reunião com o ministro da Justiça; e para a organização da greve geral e cumprimento das formalidades de comunicação e prazos. “Nossos colegas foram guerreiros ontem em Brasília, e tudo o que fizeram foi plenamente justificado pela falta de seriedade com que o relator tratou do assunto. Assim não será o Rio Grande do Sul que agirá em caminho separado dos demais colegas do país”, disse Berneira.

A Amapergs Sindicato levará um ônibus para Brasília na semana que vem para participar da reunião das federações e também para acompanhar as votações na Câmara. “Nossa prioridade é a PEC 308 que será definida na próxima terça-feira, afinal a luta travada para que tenhamos uma regra diferenciada é uma salvaguarda, uma vez que nós no RS, diferentemente da grande maioria dos Estados, possuímos regra melhor do que esta que está sendo tratada. O Governo fez malabarismo para aprovar o relatório ontem da Comissão. Agora vai ao Plenário onde o governo não tem os votos necessários e está longe de ter. Depois, caso mesmo assim seja aprovada, vai para o senado, onde qualquer alteração significará retorno para a Câmara. Ou seja, será ainda uma longa luta”, assinalou o presidente da entidade.

Na quarta-feira, agentes penitenciários invadiram a sessão da Comissão Especial da Reforma da Previdência, na Câmara dos Deputados, após o destaque que tratava da inclusão da categoria na aposentadoria especial para policiais ter sido retirado da pauta. A sessão, que votava os destaques da reforma, foi encerrada devido ao protesto.