REVISTA EXAME: Assassinatos causados por policiais superam latrocínios, diz Ipea

274
Policial atira bomba de gás em manisfestantes em São Paulo em 12 de junho de 2014, dia de abertura da Copa (REUTERS/Marco Bello/Reuters)

Veja em quais estados a diferença entre as mortes causadas pela polícia e os latrocínios é maior

São Paulo – Os policiais mataram mais que os ladrões em 2015, segundo pesquisa do Ipea divulgada no início do mês. O número de latrocínios (roubos seguidos por morte) no Brasil em 2015 foi de 2.314; as mortes por intervenção policial foram 3.320.

O dado leva em consideração só os casos em que um roubo culminou em morte, e não o total de homicídios, que foi bem mais alto (59 mil, de acordo com o levantamento).

Em números absolutos, os estados onde a polícia mais mata são, na ordem, São Paulo (848 mortes), Rio de Janeiro (645 mortes) e Bahia (299).

Dos 3.320 assassinatos causados por policiais em 2015 no país inteiro, 53,5% foram em serviço (um total de 1.778 mortes); cerca de 13,7% fora do serviço (455 mortes); e as outras 1087 não foram especificadas no relatório do Ipea, já que alguns estados não divulgam os dados detalhados.

Quando se considera a diferença entre mortes por policiais e latrocínios, o Rio de Janeiro é o estado que lidera: a polícia matou quase cinco vezes mais do que os ladrões.

Foram 645 mortes por policiais, contra 133 mortes por latrocínio, uma diferença de 512 mortes. O Rio não diferencia as mortes provocadas por policiais em serviço e fora de serviço em seus relatórios.

O índice de São Paulo também é expressivo, de 848 mortes por policiais contra 356 por latrocínio, mais que o dobro.

Na maior parte dos estados analisados, no entanto, o número de latrocínios foi maior do que o de mortes por policiais. Grande parte da diferença nacional se explica apenas pelos dados de Rio, São Paulo, Paraná e Bahia.

Alerta

No Atlas da Violência, compilado pelo Ipea com dados do IBGE e do Ministério da Saúde, os pesquisadores alertam para a conivência da sociedade com um uso abusivo do poder da polícia e com execuções sumárias.

A pesquisa cita a condenação do Brasil na Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), em relação às chacinas na favela do Alemão em 1994 e 1995, mas cujo resultado só saiu em fevereiro deste ano.

O país será obrigado a publicar um relatório sobre as mortes causadas por policiais em todos os estados. Além disso, terá um ano para garantir que esses casos sejam investigados por um órgão independente da força pública envolvida, uma autoridade judicial ou o Ministério Público (MP).

Veja os estados onde a diferença é maior:

EXAME.com calculou a diferença entre as mortes causadas por policiais, fornecidas pelo Atlas da Violência, e os latrocínios de cada estado, dado do 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Fórum de Segurança Pública.

Na tabela, os números negativos significam que há mais mortes por latrocínio do que por policiais.

Local Policiais Latrocínios Diferença
Brasil 3320 2.314 1006
Rio de Janeiro 645 133 512
São Paulo 848 356 492
Paraná 241 117 124
Bahia 299 207 92
Alagoas 97 54 43
Amapá 38 17 21
Ceará 86 65 21
Rio Grande do Norte 76 58 18
Mato Grosso do Sul 45 36 9
Goiás 141 137 4
Minas Gerais 105 103 2
Maranhão 117 117 0
Roraima 6 9 -3
Sergipe 43 47 -4
Tocantins 5 9 -4
Santa Catarina 63 70 -7
Pará 180 191 -11
Espírito Santo 24 37 -13
Paraíba 15 30 -15
Rondônia 7 15 -23
Piauí 18 47 -29
Amazonas 45 76 -31
Rio Grande do Sul 107 140 -33
Distrito Federal 10 49 -39
Mato Grosso 8 68 -60
Pernambuco 51 116 -65
Acre 10 sem dados