APREENDIDO COM TRAFICANTE: Conheça o Mercedes de luxo blindado que será usado pela polícia em operações

591

Direito de usar o veículo, adesivado sem custo, foi concedido pela Justiça

ZERO HORA

Polícia Civil usará um carro Mercedes Benz modelo CLS-500, ano 2009, blindada, apreendida com um traficante de drogas, em operações no Rio Grande do Sul. O veículo já está adesivado no pátio do Palácio da Polícia, em Porto Alegre, e deve ir às ruas ainda em março.

A polícia conseguiu autorização judicial para o uso do carro – que tem modelos semelhantes vendidos na internet por mais de R$ 250 mil. A adesivagem saiu sem nenhum custo para a corporação.

Por enquanto, os detalhes sobre o uso do carro ainda não foram divulgados pelos diretores da Polícia Civil, mas um anúncio oficial deve ser feito nos próximos dias. Também não foi revelado com qual traficante e quais as circunstâncias dessa apreensão.

A Polícia Civil já usa em operações carros apreendidos com criminosos. Em 2017, foram 56 disponibilizados aos agentes. No entanto, a regra é que os carros fiquem para o uso discreto.

Nova marca da Polícia Civil

Também consta no carro o novo logotipo da Polícia Civil. A nova marca segue a orientação do Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, que desde 2017 pretende padronizar os logotipos. A partir de agora, o brasão se incorpora ao escudo.

Detalhes sobre uso não foram divulgados

Por enquanto, os detalhes sobre o uso do carro ainda não foram divulgados pelos diretores da Polícia Civil, mas um anúncio oficial deve ser feito nos próximos dias. Também não foi revelado com qual traficante e quais as circunstâncias ocorreu a apreensão do veículo.

A Polícia Civil já usa em operações carros apreendidos com criminosos – em 2017, foram 56 disponibilizados aos agentes. No entanto, a regra é que os automóveis fiquem para o uso discreto.

A adesivagem da Mercedes, que não teve custo para a corporação, já apresenta o novo logotipo da Polícia Civil. A nova marca segue a orientação do Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, que desde 2017 pretende padronizar os logotipos. A partir de agora, o brasão se incorpora ao escudo.

Fernando Gomes / Agencia RBS
Chefe da Polícia Civil observa que carro não foi vendido porque ainda não foi alienadoFernando Gomes / Agencia RBS

O chefe da Polícia Civil, delegado Emerson Wendt, salienta que o carro não pode ser vendido pois o processo – no qual o veículo é citado – ainda tramita na Justiça e não se tem o trânsito em julgado, ou seja, quando não há mais possibilidade para recorrer. Por isso, a polícia só tem a autorização para uso.

Para ser negociado, seria preciso a alienação do veículo.

— A alienação vem após a decisão judicial, com trânsito em julgado — destaca o chefe da Polícia Civil.

Wendt salientou que o novo logotipo da corporação integra uma plano para mudar a identidade visual da Polícia Civil. Para a alteração, é preciso a aprovação de um decreto pelo governador José Ivo Sartori, o que ainda não ocorreu. Caso seja aceito, a nova marca será apenas colocado nos novos veículos adquiridos e em outros materiais produzidos – como camisetas, bonés, entre outros.

Ficha técnica

Motor: V8 de 388 cv
Aceleração 0 – 100 km/h em 5,4 segundos
Velocidade máxima 250 km/h
Custo: R$ 198.179,00, mais o custo da blindagem
Sistema de acesso e partida sem chaves (Keyless-Go)
Aquecimento e ventilação dos assentos