Deputados querem segurança nos municípios de pequeno e médio porte

387
Foto: Vinicius Reis

Reunidos na manhã de 9 de março, parlamentares integrantes da Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia (CSSP) realizaram debate sobre as causas do mais de 30 casos de ataques a bancos e comércio, em cidades de pequeno e médio porte, nos três primeiros meses do ano. Os deputados pretendem conversar com o secretário estadual de Segurança Pública e com o chefe da Polícia Civil, para solicitar mais efetivo policial neste municípios e o combate às quadrilhas especializadas.

A inexistência de política pública para garantir segurança nestes municípios foi denunciada pelo deputado Valdeci de Oliveira (PT). Ele destacou a ocorrência de arrombamentos, na última quarta-feira, em agência bancária, lotérica, lojas e o clube de Mata, município de 5 mil habitantes na Região Central. É o segundo ataque a bancos na cidade em pouco mais de 30 dias.

Conforme Valdeci, mais de 1500 pessoas estão reunidos em Frente a prefeitura municipal exigindo mais segurança. “As comunidades não podem ficar com a sensação de segurança, à merce dos bandidos. Neste caso nem é sensação, é realidade mesmo”, analisou o parlamentar. Para ele, as dezenas de casos ocorridos nos últimos meses comprovam a falta de uma política pública no setor, além da falta de planejamento para deter a ação criminosa especializada. Valdeci Oliveira protocolou, no início do ano, requerimento para debater a situação da segurança nos municípios do Vale do Jaguari.

A falta de efetivo policial nestes municípios facilita as ações criminosas, segundo o deputado Bombeiro Bianchini (PPL). “As cidades estão vulneráveis com a opção por efetivo mínimo atuando. No Vale do Jaguari não há policiamento da Brigada Militar trabalhando à noite”, exemplificou. Para ele, é necessária uma resposta rápida do poder público para estancar o problema.

O presidente da Comissão, deputado Catarina Paladini (PSB), observou que o crime migrou para as cidades pequenas. “São quadrilhas especializadas em assaltos a banco que estão deixando comunidades em pânico. Devemos conversar com o secretário de Segurança e com o Chefe de Polícia para expor a aflição da população”.