Presidente da ABAMF sobre a morte de Brigadiano: “BM precisa ter supremacia de força”

565
Bandidos não podem estar mais equipados e em maior número

Em entrevista ao vivo, com a repórter Vanessa Pires, no “Programa Balanço Geral” da TV Record, sobre a morte do soldado Fabiano Heck Lunkes de 34 anos(7º RPMon), o presidente da ABAMF, José Clemente Corrêa, lembrou que a Brigada Miliar precisa ter supremacia de força frente ao bandidos. “Precisa haver uma política de Estado para a BM e não de governo”.

O representante brigadiano destacou ainda que a Corporação atua com metade do efetivo ideal. Isto coloca a vida dos militares estaduais em risco. São 2 mil aprovados em curso e 3,2 mil aprovados que sequer foram convocados para a escola de formação. “Existem cidades no interior que tem um, dois ou no máximo três PMs e nos casos de ocorrências graves, como o ataque dessa quadrilha, não possuem poder de enfrentamento, porque, inclusive estão em inferioridade numérica”.

Outro ponto que vem sendo alertado pela ABAMF há bastante tempo é a vigilância nas fronteiras do país e o desarmamento dos bandidos. “Hoje os assassinos usam armas mais modernas que os policiais”.Presidente da ABAMF sobre a morte de Brigadiano: “BM precisa ter supremacia de força”

Paulo Rogério N. da Silva

Jornalista da ABAMF