Bolsonaro revoga decreto das armas

166

Decisão é tomada um dia depois de o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmar que parlamentares tinham a intenção de seguir o Senado e derrubar a medida

Decisão foi tomada pelo presidente depois de ser aprovado no Senado um decreto legislativo sustando os efeitos da medidaMarcos Corrêa / Presidência da República/Divulgação

GAÚCHAZH

O presidente da República Jair Bolsonaro decidiu, na tarde desta terça-feira (25), revogar o decreto que flexibiliza a posse de armas. A revogação foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União.  

A decisão é tomada um dia depois de o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmar que os parlamentares deveriam seguir o Senado e derrubar o decreto.

 — Depois da decisão do Senado de derrubar o decreto de armas, na minha opinião, esse pode ser o caminho da Câmara. Mas nós entendemos, sob a liderança dele (o presidente do Senado, Davi Alcolumbre), que existem alguns pontos que são constitucionais e precisam ser tratados por lei — afirmou durante podcast publicado em suas redes sociais nesta manhã.

A  nova posição do Planalto sobre o assunto fi anunciada poucas horas após o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, ter dito que o governo não revogaria o decreto e que esperaria a votação na Câmara.

– O governo não revogará, não colocará nenhum empecilho para que a votação ocorra no Congresso – afirmou o porta-voz no final da manhã desta terça-feira.

O decreto presidencial foi derrubado na última terça-feira (18), por 47 votos a 28.  A validade do decreto também é questionada em três ações que com análise marcada para o Supremo Tribunal Federal (STF) nesta quarta-feira (26).