Polícia Civil, Brigada Militar e Bombeiros fazem ato contra o governo nesta terça em Pelotas

137

A concentração ocorre às 13h, no Chafariz das Três Meninas, e depois os policiais e bombeiros seguem em caminhada em direção à Câmara de Vereadores

Por: Giulliane Viêgas Diario Popular

Servidores da Polícia Civil, da Brigada Militar (BM) e dos Bombeiros realizam amanhã, no centro de Pelotas, um ato contra o atraso dos salários, o represamento das publicações das aposentadorias policiais, a morte de policiais e outras medidas do governador Eduardo Leite (PSDB). A concentração ocorre às 13h, no Chafariz das Três Meninas, e depois os policiais e bombeiros seguem em caminhada em direção à Câmara de Vereadores. Pelo menos seis entidades sindicais que representam as categorias irão participar do ato.

Os manifestos devem ocorrer ao longo do mês em outros municípios do Estado, no entanto, Pelotas foi escolhida para ser a primeira cidade a realizar a manifestação por conta de Eduardo ser natural da Princesa do Sul. “O objetivo é mostrar que o atraso de salários, os ataques à aposentadoria policial, a manutenção do maior déficit de pessoal da história das polícias e os projetos que pretendem retirar outros direitos dos policiais gaúchos, atingirão de forma contundente as cidades do interior do Estado”, explicou o presidente do Sindicato que representa os Escrivães, Inspetores e Investigadores da Polícia Civil (Ugeirm), Isaac Ortiz.

O presidente da Associação Cabos Soldados Policiais Militares de Pelotas e soldado do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Tiago Rommel, explicou que a intenção é reunir o maior número de pessoas para o ato contra o “pacote de maldades do governo do Estado”. “Queremos que todos os servidores de todas as categorias, seja Educação e Segurança Pública, participem dessa mobilização contra os ataques do governador. Essas medidas atingem a nós e consequentemente a população”, disse. Conforme Rommel, a intenção é fazer um abaixo-assinado e recolher assinaturas de todos que apoiam o movimento.