Discursos contra a aprovação da PEC 285 dominam o Plenário, mas emenda 2 é aprovada

321

Desde às 14h, deputados ocupam a tribuna com discursos de rejeição e emendas a proposta de mudança na Constituição Estadual, PEC 285. Os deputados aliados ao governo deixaram o Plenário durante o período das falas e só retornaram para a votação da emenda 2 – remete decisão de itens para o debate dos PLs que serão votados – e aprovada por 38 votos favoráveis contra 14 votos desfavoráveis.

Entre as falas críticas ao governo como da deputada Luciana Genro(PSOL) que afirmou: “a aprovação da pec fará terra arrasada nas carreiras dos servidores públicos estaduais. Vão criar o soldado de quarta classe”. E, completou; “o governo  precisa lutar pela Lei Kandir e conceder menos isenções”.

Juliana Brizola(PDT) destacou que o governo enxerga só a parcela dos servidores públicos para pagar a dívida do RS. “O PIB caiu mas os mais ricos aumentaram seus ganhos. As contas devem ser pagas por todos”.

Sofia Cavedon(PT), criticou a proposta e o governo gaúcho. “Alterações tão profundas não é uma contingência da situação econômica, é uma opção do governo. É um governo do Estado mínimo”. E falou dos feitos dos feitos petistas a frente do governo do RS. “A pec extingue as promoções, os avanços nas carreiras, e determina que a subtração na carreira não pode ser reconstituída”.

Rodrigo Maroni(PODE) apelou aos deputados que são servidores públicos e outros com história de lutas para que votassem contra a PEC. “Não vale a pena votar a favor dessa proposta”.

Os discursos prosseguem mas os representantes e servidores resistem e suportam o cansaço para acompanhar a votação.