Operação Golfinho terá nova filosofia

259

Salva-vidas vão mudar forma de atuar neste verão | Foto: André Ávila / CP Memória
Salva-vidas vão mudar forma de atuar neste verão | Foto: André Ávila / CP Memória

Banhista que se recusar a sair de área de risco será retirado

A partir desta temporada, a Operação Golfinho terá uma mudança no seu foco de atuação. O mote principal será a prevenção. Com início previsto para o dia 20 deste mês, os salva-vidas começam a atuar nos 489 quilômetros de extensão do Litoral já levando em conta o novo modo de agir. De acordo com o chefe do Estado- Maior do Comando do Corpo de Bombeiros Militar, tenente-coronel Evaldo Rodrigues de Oliveira, serão realizadas duas ações com esse objetivo no veraneio. 

Uma das principais mudanças, segundo Oliveira, é no caso de o banhista se negar a sair de alguma área de risco, pois os profissionais têm autonomia para tirar esta pessoa da água, da mesma maneira como ocorre em praias australianas, por exemplo. “Pedimos a compreensão da população. Sabemos que, às vezes, a abordagem pode não ser muito simpática, mas o principal objetivo é proteger a vida dos veranistas”, salienta o tenente-coronel. 

Além disso, os profissionais estarão na orla para orientar os banhistas por meio de conversas e alertas em locais com risco de afogamento. Estão previstos cursos com um turno de duração direcionados a crianças, adultos e surfistas. Às crianças, o objetivo é orientar sobre qual o comportamento adequado na beira da praia. Já para os adultos, a meta é promover uma mudança comportamental. Os surfistas irão aprender como auxiliar em salvamentos, utilizando suas pranchas. 

“A ideia é reduzir o índice de pessoas que entram no mar e acabam correndo o risco de se afogar”, disse o oficial. “Isto será feito por meio de conversas e chamando a atenção com apitos, mas as guaritas não serão abandonadas, por terem uma visibilidade privilegiada.” Na última temporada, foram realizados cerca de 1,6 mil salvamentos. A expectativa para este verão é reduzir para 1,2 mil.

Em dezembro, 967 salva-vidas estarão atuando. Entre janeiro e fevereiro, o número aumenta para 1,2 mil. De março até o feriado de Páscoa, cerca de 400 profissionais ficarão disponíveis. Do total, serão aproximadamente 60 salva-vidas civis. Na última sexta-feira foi concluído o treinamento da segunda turma de integrantes da Golfinho. 

CORREIO DO POVO