BM vai reduzir em 40% as horas extras, anuncia subcomandante

197

Paulo Stocker garantiu, no entanto, que diminuição não irá afetar policiamento nas ruas

O subcomandante-geral da Brigada Militar (BM), Paulo Moacir Stocker, admitiu nesta terça-feira que haverá redução de 40% nas horas extras da Corporação. Desta forma, o número que era de 240 mil passa para 146 mil ao mês, seguindo odecreto do governador José Ivo Sartori. Em entrevista coletiva, Stocker deixou claro que a diminuição não irá afetar o policiamento nas ruas. 

“Em algum momento vai existir um evento menor em que vamos reduzir o efetivo, mas a comunidade não vai sentir absolutamente nada. Não vai surtir efeito no rendimento, no atendimento ou nos indicadores”, garantiu Stocker. 

Na avaliação do subcomandante, o trabalho na Operação Golfinho continua 100% dentro do planejado no começo do verão. “Há cidades com 40 a 50 mil habitantes que no verão passam para 1 milhão de pessoas. Todo o efetivo de apoio recebe diária e isso não se aplica como cota extraordinária na Operação Golfinho. Ela não sofreu redução em nada. A BM segue a atividade normal de viagens”, afirmou. 

Stocker admitiu ainda que a BM e o Corpo de Bombeiros tem um efetivo menor do que o recomendado, mas os acontecimentos excepcionais ganharão atenção. Cerca de 550 eventos ocorrem ao ano em Porto Alegre, segundo informações do subcomandante. 

O decreto

Decreto do início do governo de Sartori limitou o pagamento dos valores extras. Na semana passada, o comandante do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel João Diniz Godoy, explicou que o recurso é fundamental para operações, eventos e monitoramento reforçado de Territórios da Paz.

Bibiana Borba / Rádio Guaíba