Corte de horas extras fecha pelo menos sete quarteis dos bombeiros até a próxima semana

190

antena-1-960x600Unidade do bairro Mathias Velho, em Canoas, foi a primeira, nesta sexta

O corte no pagamento de horas extras por parte do governo Sartori levou o Corpo de Bombeiros a fechar, nesta sexta-feira, o quartel do bairro Mathias Velho, em Canoas, um dos que funciona na cidade. Com baixo efetivo, a corporação advertiu que parte das unidades da região Metropolitana também deixa de atender, a partir de segunda-feira.

Conforme o comandante dos Bombeiros, coronel Evilton Pereira Diaz, caso as horas extras não sejam liberadas para a corporação, mais quartéis serão fechados até o fim do mês.

Na região de Gravataí, Cachoeirinha e Alvorada, os trabalhos vão funcionar por meio de rodízio. Duas serão fechadas por dia, liberando apenas uma para atender as três cidades.

Na próxima semana, também serão fechadas unidades em cidades que possuem mais de um quartel, como Pelotas, Rio Grande e Santa Cruz do Sul. “Nós vamos, primeiramente, fechar as sedes administrativas e de prevenção para tentar manter o mínimo dos serviços de combate a incêndio da população”, explica.

Em média, o governo paga 70 mil horas extras por mês aos bombeiros para suprir a carência de efetivo. A carga horária de um bombeiro é de 40 horas semanais. Com as horas extras, até 70 horas de trabalho são realizadas pelo efetivo. Hoje, o deficit é de 45% na corporação. O comandante informou que há hoje 2.685 policiais nos 104 quartéis, contra um ideal de 4.450.

Fonte:Lucas Rivas/Rádio Guaíba