Estado vai propor parcelamento para tentar recuperar R$ 7 bilhões da dívida ativa

216

divida-345x156Secretário da Fazenda reiterou que pode haver atrasos na folha de pagamento a partir de março

O secretário estadual da Fazenda, Giovani Feltes, confirmou hoje que a oferta de parcelamento prolongado pode ser um dos mecanismos de cobrança de parte da dívida ativa do Estado, avaliada em R$ 31 bilhões. O modelo vem do exemplo da administração de José Ivo Sartori na Prefeitura de Caxias do Sul, comandada duas vezes consecutivas pelo hoje governador. Nesse período, as cobranças foram retomadas com mais vigor.

Segundo Feltes, as gestões anteriores do Palácio Piratini também já tentaram buscar esses valores, mas a ideia é criar meios mais eficazes. “Nossa proposta é de um escalonamento prolongado para o pagamento da dívida. Essa e outras sugestões vão ser apresentadas nos próximos meses ao governador e se conseguirmos recuperar parte do montante devido já é uma conquista para o Rio Grande do Sul”, avaliou.

A intenção é iniciar o processo até o fim do primeiro semestre. Entretanto, a Fazenda admite que grande parte dos R$ 31 bilhões é irrecuperável. Isso porque muitas empresas devedoras já faliram e não há como promover cobranças nessa situação. A estimativa é de que R$ 24 bilhões tenham sido perdidos definitivamente, restando R$ 7 bilhões a serem compensados.

O déficit projetado para 2015 é de R$ 5,4 bilhões. O secretário reconhece que não há meios, porém, de que se possa cobrar toda a dívida de uma vez só, cobrindo o rombo. Feltes voltou a descartar aumento de impostos ou criação de taxas, em 2015, mas reiterou que pode haver atrasos na folha de pagamento a partir de março.
Fonte:Voltaire Porto / Rádio Guaíba