Secretário de Segurança admite déficit de policiais, mas sustenta que nomeações dependem de aval da Fazenda

159
Wantuir Jacini assumiu pasta nesta terça-feira. Foto: Samuel Maciel/CP
Wantuir Jacini assumiu pasta nesta terça-feira. Foto: Samuel Maciel/CP

‘Eu não conhecia essa realidade’, afirmou Wantuir Jacini, sobre crise financeira do RS

Em cerimônia de transmissão de cargo nesta terça-feira, o novo secretário de Segurança Pública, Wantuir Jacini, afirmou que desconhecia os problemas financeiros que o Rio Grande do Sul enfrentou nas últimas décadas. No entanto, disse ter conhecimento da falta de policiais nas corporações.

Segundo Jacini, que apontou o Brasil como um país pobre, vai ser preciso trabalhar com a realidade existente. “Eu ainda não conhecia essa realidade. Mas nós temos que trabalhar com os recursos existentes. Afinal, o Brasil é um país pobre em franco desenvolvimento, com imensas necessidades. E com os recursos que temos, devemos fazer ao máximo, temos que potencializar esses recursos existentes para termos um desempenho com efetividade”, apontou o novo gestor da Segurança Pública.

Jacini declarou que não sabia que o titular da Fazenda, Giovani Feltes (PMDB), em entrevista à Rádio Guaíba nessa segunda-feira, havia afirmado que os secretários terão autonomia para nomear aprovados ou realizar concursos públicos. Mas afirmou que vai nomear os mais de 600 concursados excedentes da Polícia Civil caso o chefe da Fazenda dê o aval. “Com base nisso que você está me dizendo, sim. Mas eu ainda não conversei com o secretário da Fazenda. É preciso que eu fale com ele a esse respeito”, explicou Jacini.

O novo secretário de Segurança admitiu que há déficit de agentes tanto da Polícia Civil quanto da Brigada Militar e que, após saber da informação repassada pela reportagem, vai conversar com o chefe da Fazenda. No entanto, Jacini garantiu que, no momento, ainda vai cumprir o que estabelece o decreto publicado segunda-feira no Diário Oficial do Estado.

Natural de São Gabriel, Jacini ingressou na Polícia Federal na década de 70 e desde então ocupou cargos nas secretarias de Segurança dos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Paraná e Distrito Federal.

Fonte:Vitória Famer/Rádio Guaíba