Um serviço de excelência prestado por policiais militares pode acabar

189
Foto Google
Foto Google

RADIO GUAIBA: Separação de Bombeiros da Brigada Militar vai abrir mercado para salva-vidas civis
Separação vai ocorrer em junho do ano que vem

Com a separação entre bombeiros da Brigada Militar, os salva-vidas civis devem ganhar espaço para trabalhar durante as próximas temporadas de verão. O comandante dos Bombeiros, coronel Eviltom Pereira Dias, revelou que hoje, de cada dez salva-vidas, oito são do policiamento ostensivo. “Eles são sempre necessários. O que vai acontecer é que o Estado terá que dar uma solução sobre como serão os salva-vidas, quando da separação dos bombeiros”, comentou o oficial.

Estão espalhados pelos litorais Norte e Sul e nos balneários de água doce 1.045 militares atuando como salva-vidas. Eles fazem parte da Operação Golfinho, que eleva o número de servidores ligados à Secretaria de Segurança nas áreas de veraneio.

Deputados aprovaram em junho a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), de autoria do Poder Executivo, que desvincula o Corpo de Bombeiros da Brigada Militar. A emenda que previa antecipar a medida para 2015 foi rejeitada. Com isso, as duas corporações serão divididas em 2 de julho de 2016, Dia do Bombeiro. A partir daí, não ocorrerão mais transferências de bombeiros ao policiamento.

O Corpo de Bombeiros soma 2.685 agentes, contra um ideal estimado em 4.450. Pela PEC, a previsão é de que se atinja esse número num prazo de até três anos.